Nogueira desiste de confrontar Doria e fala em ‘seguir religiosamente’ restrições ao comércio

Declaração foi dada em entrevista coletiva; durante a pandemia, Nogueira desrespeitou ao menos cinco vezes determinações do Plano São Paulo

Prefeito Duarte Nogueira - Foto: Divulgação/Arquivo
Continua depois da publicidade

Após contrariar, seguidas vezes, as recomendações do Plano São Paulo, o prefeito Duarte Nogueira (PSDB) mudou o discurso e afirmou que, dessa vez, irá “seguir religiosamente” o sistema imposto pelo governo João Doria (PSDB). A declaração foi dada em entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira (22) no Palácio do Rio Branco.

A declaração se refere às medidas mais restritivas impostas pelo governo estadual a todas as cidades paulistas. Na nova classificação, Ribeirão permaneceu na zona laranja, mas irá ter períodos de zona vermelha.

Nogueira contrariou seguidas vezes as recomendações do Plano São Paulo durante a quarentena. Além de decretar que a cidade deveria permanecer na zona amarela, embora tivesse sido rebaixada, o prefeito ainda determinou que comércios ficassem abertos fora o horário permitido pela classificação do governo do Estado em ao menos duas oportunidades.

Houve, ainda, pelo menos duas ações civis públicas nas quais o Ministério Público questionou decisões municipais de desrespeitar o Plano São Paulo.

Dessa vez, além de recomendar que a população siga as recomendações e denuncie aglomerações e estabelecimentos que deixarem de seguir as normas, Nogueira afirmou que não há como controlar as variáveis que fizeram com que as restrições do Plano São Paulo fossem ampliadas.

“Nós vamos seguir religiosamente para que não aconteça o pior”, disse Nogueira, que defendeu o isolamento social.

Sem ceder

O prefeito informou ainda que não irá ceder a manifestações contra o fechamento dos estabelecimentos, especialmente bares e restaurantes, medida que passa a valer em todo o Estado a partir de segunda-feira, quando as cidades ficarão das 20h às 6h, todos os dias, e também durante os sábados e domingos, na zona vermelha, mais restritiva.

]”Não adianta fazer manifestação pública para mudar de fase e todo mundo se aglomerando. Não controlamos essas variáveis. Quem controla é o vírus”, disse.

Nenhuma postagem para exibir