Secretaria de Saúde não incluirá uso da cloroquina nos hospitais públicos de Ribeirão Preto

Prefeitura se baseia em estudos internacionais para justificar o descarte da droga

Imagem ilustrativa de uma cartela de cloroquina - Foto: Agência Brasil

A Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto informou ontem, quarta-feira (22), em nota que não irá utilizar a hidroxicloroquina na prevenção e no tratamento precoce ao novo coronavírus. A informação é da Secretaria de Saúde, que afirma que a decisão tomada em consenso com o Comitê de Enfrentamento da doença. Apesar da decisão, pacientes do SUS poderão tomar o medicamento desde que seja recomendado por um médico. 

Mesmo com a decisão, não há proibição para que os médicos prescrevam a droga como medicamento para o combate ao vírus caso o paciente esteja ciente, como acontece em hospitais particulares do município.

“Tendo em vista a grande repercussão na mídia em todo o país sobre a utilização da hidroxicloroquina na prevenção e tratamento precoce ao novo coronavírus (Covid-19), a Secretaria Municipal da Saúde de Ribeirão Preto, em consenso com o Comitê Técnico de Enfrentamento à doença, não incluirá, neste momento, a sua utilização na rede pública de Ribeirão Preto para pacientes do SUS”, diz trecho da nota divulgada.

Os estudos que basearam as decisões do uso do medicamento em Ribeirão Preto foram publicados pela Universidade de Oxford, National Library Of Medicine e The New England Journal of Medicine. Os artigos estão disponíveis nos links.

Região

Em Sertãozinho, o prefeito Zezinho Gimenez (sem partido) anunciou, nesta terça-feira (21), a distribuição da cloroquina e azitromicina para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) com sintomas da Covid-19 no município. 

A medida, que vale a partir de hoje, quinta-feira (23), resultou no desligamento de quatro médicos infectologistas do Comitê de Combate ao Coronavírus de Sertãozinho. 

No documento, os médicos afirmam que um parecer técnico elaborado pelos médicos deixou claro que não existem resultados científicos que justifiquem o uso da cloroquina, e que o medicamento pode ainda ter efeitos adversos, sendo desaconselhado para uso em Sertãozinho.

Boletim Epidemiológico

Em Ribeirão Preto, o Boletim Epidemiológico divulgado ontem, quarta-feira (22), notificou 11.378 casos positivos, 13.044 casos descartados e 5.429 casos em observação.

O número de óbitos totaliza 304, sendo 171 vítimas do sexo masculino e 133 do sexo feminino.

Principais medidas de prevenção da Covid-19

Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar álcool gel 70%.

Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

Evitar contato próximo com pessoas doentes.

Ficar em casa quando estiver doente.

Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.

Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.

Manter o ambiente limpo e arejado.

Evitar aglomerações ou locais com muitas pessoas.

Manter sempre que possível a distância de pelo menos dois metros de qualquer pessoa em ambientes coletivos.

Seguir todas as orientações das autoridades públicas quanto à restrição de movimentação e contato com outras pessoas.

Quando as atividades escolares estiverem suspensas, as crianças deverão permanecer em casa, ou seja, não frequentar outras áreas coletivas.

Errata: Diferente do que foi publicado, pacientes do SUS poderão tomar a hidroxicloroquina desde que haja prescrição médica e consentimento.

Nenhuma postagem para exibir