Situação deve permanecer restrita em Ribeirão, afirma promotor do MP

Regras mais rígida entram em vigor a partir desta segunda-feira (06).

Comércio da região central de Ribeirão durante a reabertura - Foto: Redes Sociais
Continua depois da publicidade

As regras mais restritivas para a abertura do comércio são uma realidade e vieram para ficar. Assim analisa o promotor Ramon Lopes, do Ministério Público e um dos envolvidos no acordo que aumentou as restrições na quarentena em Ribeirão Preto.

Ramon participou das tratativas, realizadas na última semana, e ajudou a elaborar um documento, contendo 17 orientações de restrição. A prefeitura de Ribeirão Preto decidiu acolher as recomendações enviadas pelo Ministério Público e vai tornar as regras mais rígidas na cidade, devido ao grande aumento no número de casos do novo coronavírus, a partir desta segunda-feira (06). E em época de restrições como essas, a principal ação, no momento, deve ser a consciência da população.

De acordo com Ramon Lopes Neto, em entrevista ao radialistas Lincoln Fernandes, no programa Thathi Repórter desta segunda, a situação deve permanecer mais restritiva pelo menos até 19 de julho em Ribeirão Preto.

“Em uma época de restrição como essa, só funciona com duas coisas, primeiro e principal, é a conscientização da população, precisa partir da população o bom comportamento, atendimento das regras estipuladas, porque tudo isso é feito em prol dos próprios cidadãos. E o segundo ponto é a fiscalização, pra garantir a eficácia das medidas que já foram aplicadas.” afirmou o promotor da justiça em uma entrevista concedida no programa Thathi Repórter ao jornalista Lincoln Fernandes na manhã desta segunda-feira (06).

Bebidas

Promotor da Justiça, Ramon Lopes Neto, afirma que situação deve permanecer mais restritiva até 19 de julho em Ribeirão Preto – Foto: Divulgação

Um dos pontos abordados, é a proibição da venda de bebidas alcoólicas em lojas de conveniências depois das 17h. Segundo Neto, especialistas analisaram que a venda de bebidas alcoólicas é um fator de aglomeração.

“Na reunião, um dos pontos colocados em discussão e que foi aprovado com unanimidade. Os especialistas olham a venda de bebidas alcoólicas como fator de aglomeração, seja no próprio local de vendo, ou na realização que gera aglomeração em sítios, casas, chácaras etc. por isso a restrição de bebidas alcoólicas.”

Ainda de acordo com ele, a questão do transporte público na cidade é complexa.

“A questão do transporte público é mais complexa. Tive uma conversa mais detalhada com a prefeitura e com a concessionaria para eles pensarem em uma melhor estratégia para implementarem perante a nossa realidade.”

“Foi dito na nossa reunião que realmente o deslocamento da população pelo transporte público é muito crítico. Mas ao mesmo tempo é muito complexo, a solução não é simples. A capital de São Paulo, por exemplo, não conseguiu de maneira adequada contornar essa situação. Espero que em Ribeirão que está com uma situação melhor, que a prefeitura e a concessionaria consigam pensar em uma alguma solução melhor.”

Tentativas e acertos

Neto finalizou dizendo que o combate ao Covid-19 é feito com análises diárias, com tentativas e erros, e, que Ribeirão Preto está tentando.

“A covid-19 não tem uma fórmula mágica, não existe uma receita pronta de combate. Mesmo os países da Europa que passaram pela pandemia e que estão mais avançados na questão cronológica, nenhum deles apresentou uma solução 100% eficaz. O combate é feito com análise feita no dia a dia, com tentativa e erro, e Ribeirão está tentando. A tentativa já é vista com bons olhos, a meu ver.”

Confira a entrevista completa:

Nenhuma postagem para exibir