Plano SP | Medidas de restrição voltam a ser decididas por prefeituras

Segundo o governador do estado, a decisão deve ser tomada a partir da realidade de cada região para os índices da pandemia

Governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB) - foto: Rede social

A partir do dia 1º de junho, a classificação das medidas de restrição contra a Covid-19 voltam a ser realizadas por prefeituras e secretarias regionais do estado de São Paulo, de acordo com anúncio feito pelo governador João Doria (PSDB) sobre atualizações do Plano SP. Até o dia 31 de maio, as cidades paulistanas permanecem na fase de transição.

O anúncio foi feito nesta quarta-feira (19), em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes. Segundo o Governador, todo o estado deve permanecer seguindo as medidas previstas pela fase de transição, como toque de recolher das 21h às 5h e funcionamento do setor de comércio e serviço das 6h às 21h e restrição na capacidade de lotação de estabelecimentos, que passou de 30% para 40%. 

A partir do dia 1º de junho, o estado entra em uma nova fase de reabertura, em que o horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais, do setor de serviços e de encontros religiosos será ampliado para as 22h, com capacidade máxima de lotação em 60%. O toque de recolher permanece, porém das 22h às 5h. 

Ainda de acordo com o governador, quando a fase de transição for encerrada, os municípios poderão passar a analisar e decidir medidas restritivas locais, de acordo com a realidade de cada região, desde que sigam os pilares do Plano SP.

Ribeirão Preto 

Com aumento expressivo no número de novos casos e de pessoas internadas nos leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para Covid-19, Ribeirão Preto pode enfrentar período de maiores restrições. A Prefeitura deve se pronunciar sobre a situação ainda nesta quarta-feira. Porém, em nota divulgada nesta segunda-feira (17), a Secretaria da Saúde afirmou estar preocupada com “um crescimento muito acentuado na chegada de novos casos, bem como nas internações e, principalmente na gravidade dos casos”.

Na última quinta-feira (13), a cidade tinha 92 pacientes internados nos Pólos Covid e UPAs, sendo que destes, 13 estavam intubados. Segundo a prefeitura, esse número subiu diariamente, até alcançar 27 pacientes com necessidade de respirador, nesta segunda-feira (17). 

No domingo (16), no sistema do Estado de São Paulo de Regulação Médica, a fila de espera por vagas na UTI era de 212 casos, sendo 142 de Ribeirão Preto e 70 da região. Para a Saúde, o aumento é proporcional à maior circulação de pessoas nas ruas, além do número de aglomerações nos últimos 15 dias.

Atualmente, os leitos de UTI para Covid-19 na cidade se encontram com taxa de 93,2% de ocupação e 87,2% nos de enfermaria. No total Ribeirão tem 626 pacientes internados, 210 deles fazem uso de respirador, segundo a plataforma leitoscovid.org

Nenhuma postagem para exibir