Com números no limite da zona vermelha, Ribeirão vê explosão de casos e tem 11 mortes

Internações em UTIs bateram limite para permanência na zona laranja; total de mortes chega a 1.031

Paciente faz exame de covid - Foto: Agência Brasil
Continua depois da publicidade

Sob risco iminente de ser reclassificada para a zona vermelha do Plano São Paulo, Ribeirão Preto confirmou, nesta quinta-feira (21), mais 340 casos de covid-19 nas últimas 48 horas, além de 11 mortes causadas pela doença. Os dados são da prefeitura da cidade.

No total, são 1.031 mortes causadas pela doença e 44,1 mil casos confirmados da doença desde março na cidade. Os dados confirmam a informação, dada em primeira mão pelo Grupo Thathi, de que a cidade registra, em janeiro, uma explosão de novos casos.

Em novembro, a quantidade diária de novos casos ficou na casa dos cem casos por dia. Em dezembro, esse índice já supera os 157 por dia e, em janeiro, se aproxima dos 190. A tendência, entretanto, é que os números subam ainda mais – os boletins dos últimos três das apresentaram números perto de 300 casos.

Domingos Alves, professor da USP – Foto: Divulgação

Para o professor Domingos Alves, especialista da Universidade de São Paulo (USP), os dados refletem, de forma inequívoca, a chamada segunda onda, amplificada pelas comemorações de Natal e Ano Novo.

“As festas de fim de ano, a prévia das festas, os feriados, essas aglomerações estão acontecendo de maneira bastante aguda há algum tempo. Houve infecção exacerbada entre os jovens, que, mesmo que não sejam internados, infectam os mais velhos. E isso agora está explodindo no Brasil inteiro”, afirma.

Leitos

Quanto à ocupação de leitos, segundo o site leitoscovid.org, a cidade tinha, às 18h20 desta quinta, 79,88% de ocupação em leitos de UTI e 75,45% de ocupação na enfermaria. São 131 pacientes para 164 vagas, no primeiro caso, e 126 internados para 167 leitos, no segundo.

Vale lembrar que o limite de ocupação para permanecer na zona laranja do Plano São Paulo é de 80% de ocupação. Esse percentual foi atingido várias vezes ao longo do dia, em Ribeirão, o que torna possível uma reclassificação da cidade na sexta-feira.

Para Alves, a situação só não é pior devido ao aumento de leitos na rede. “Nesta semana, ficou em torno de 75%, na média de ocupação, sendo que desde o começo do ano o número de pessoas internadas em UTI dobrou. Só ficou nessa percentagem pelo aumento do número de leitos, não porque se controlou a doença”, afirma.

Mortes

Os dados divulgados nesta quinta mostram, ainda, 11 novos mortos. São nove mulheres e dois homens, sendo que o paciente mais novo tinha 64 anos e o mais velho, 97.

Quanto à ocupação de leitos, segundo o site leitoscovid.org, a cidade tinha, às 18h20 desta quinta, 79,88% de ocupação em leitos de UTI e 75,45% de ocupação na enfermaria. São 131 pacientes para 164 vagas, no primeiro caso, e 126 internados para 167 leitos, no segundo.

Farolete

Em reportagem publicada nesta quinta-feira (21), o portal Farolete confirmou a informação do Grupo Thathi. De acordo com a matéria, Na noite da última quarta-feira (20) havia o dobro de pacientes na UTI em comparação com o primeiro dia do ano, e o triplo da média registrada na primeira semana de dezembro.

O portal mostra ainda que, na noite de 20 de janeiro, eram 126 pacientes com Covid internados na UTI. Muito acima dos 60 em 1º de janeiro e dos 40 registrados em 9 de dezembro. O número, por sinal, se aproxima do pico de internações em UTI no município, registrado em 2 de agosto do ano passado, com 192 pessoas em estado grave nos hospitais.

A íntegra da matéria do Farolete pode ser acessada aqui

Nenhuma postagem para exibir