Terminou sem acordo a reunião de conciliação realizada, na tarde desta quinta-feira (9), entre a prefeitura de Ribeirão Preto e o Sindicato dos Servidores Municipais. O encontro aconteceu no prédio do Tribunal de Justiça (TJ), em São Paulo, e pode refletir nos próximos capítulos da greve da categoria, iniciada em 10 de abril.

Segundo apurado pela Reportagem, o Governo reapresentou a proposta de não conceder a reposição salarial cobrada pelo funcionalismo, mas de se comprometer em não descontar dos salários os dias não trabalhados dos profissionais que aderiram ao movimento. A ideia não agradou o sindicato e uma nova assembleia deve acontecer nos próximos dias.

Trégua?

Na sexta-feira passada, os servidores decidiram suspender a paralisação por uma semana, esperando uma contrapartida do governo na reunião do TJ. Na ocasião, membros do movimento disseram aguardar um passo amigo de Duarte Nogueira (PSDB), já que os grevistas estariam colaborando para o diálogo.

A ‘trégua’ tinha validade de sete dias e, agora, com a falta de acordo, pode ser repensada, como informado pelo próprio sindicato.

Em nota, o Executivo reiterou a justificativa baseada na Lei de Responsabilidade Fiscal para não conceder o aumento e informou que, “mesmo diante da não aceitação, o diálogo permanece aberto”.