Guerra entre PCC e CV tem 14ª vítima executada em Ribeirão Preto

Facções criminosas entraram em confronto em janeiro; vítima mais recente foi morta com tiros na cabeça nesta quinta

Execução no Orestes Lopes de Camargo nesta quinta-feira (17) Foto: Rede Social

Mais uma execução foi registrada em Ribeirão Preto nesta quinta-feira (17). A terceira morte da semana com as mesmas características ocorreu no bairro Orestes Lopes de Camargo, zona Norte da cidade. Um homem de 30 anos foi morto com uma série de tiros na cabeça. A vítima tinha passagem pela polícia e as autoridades acreditam que os crimes estejam relacionados a uma disputa de poder entre duas facções criminosas.

Weligton, conhecido como lelão, estava em frente à sua casa, na rua Salvador Scaglioni, quando foi atingido por disparos na cabeça. O local foi isolado pela polícia e aguarda a chegada da perícia.

A polícia foi acionada por conta dos disparos ocorridos. Quando chegaram ao local, a vítima estava no chão, rodeada pelos familiares. Em seguida, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e constatou que o homem estava morto.

Segundo o tenente Danilo Daltoso, o indivíduo tinha passagem pela polícia e o caso pode ter conexão com a execução registrada no Parque das Figueiras, nesta quarta-feira. “Muito provavelmente é o mesmo veículo, os mesmos indivíduos, pelas informações iniciais que a gente colheu. Um carro Polo branco, três indivíduos, o armamento utilizado é o mesmo calibre. Então, são características muito semelhantes, os bairros são muito próximos um do outro, então tudo leva a crer que tem relação”, afirma.

Os policiais ainda não conseguiram imagens de câmeras de segurança do local. Será feito um contato com a empresa responsável pelo monitoramento para tentar o fornecimento dessas.

Em um áudio obtido pelo Portal Thathi ele foi identificado com membro do Primeiro Comando da Capital (PCC).

“O bagulho tá louco, acabaram de matar o lelão, aqui perto de casa. Deram um monte de tiro só na cara, fecha nos 14”, afirma.

Mortes

A execução desta quinta é a 14ª registrada nos últimos meses na cidade. Na penúltima delas, Wendell Almeida, 29, estava do lado de fora da sua casa, sentado na calçada conversando com um amigo, quando foi surpreendido por três homens que o atingem com mais de 20 disparos.

O crime aconteceu no Parque das Figueiras, no começo da tarde desta quarta-feira (16). Segundo as informações da polícia, os disparos eram exclusivamente para a vítima, pois não houve a tentativa de acertar mais ninguém. A polícia trabalha também neste caso, com a possibilidade de guerra entre facções.

A disputa

Em janeiro a Thathi revelou com exclusividade uma disputa, na Zona Oeste entre as facções do Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Comando Vermelho (CV). O local da disputa, inicialmente, seria o Parque Ribeirão e o Jardim Progresso, conhecidos por serem tradicionais pontos de venda de entorpecentes.

A matéria foi veiculada em função de vídeos e áudios que circulavam nas redes. Nas imagens, por exemplo, é possível ver armas de grosso calibre e ameaças de mortes.

O enfrentamento entre facções teve início em setembro de 2020, com a execução de três homens no alpendre de uma casa no Jardim Progresso. Um dos que foram mortos era líder de um grupo paulista, então membros da organização juraram os executores de morte.

Os jurados, entretanto, procuraram o CV propondo uma aliança e em busca de proteção. A facção viu a oportunidade de ganhar território em São Paulo e deu suporte aos criminosos, iniciando a guerra do crime organizado na cidade.

Nenhuma postagem para exibir