Botafogo repudia declarações de Batista e convoca coletiva para segunda-feira (2)

Em entrevista, investidor chamou atual gestão de irresponsável e criticou conselheiro Miguel Mauad

O Botafogo Futebol Clube (BFC) divulgou nota, neste fim de semana, onde qualifica como “leviandade” a manifestação, ocorrida na sexta-feira (30), de Adalberto Batista, investidor na empresa Botafogo Futebol SA (BFSA). O clube ainda informou que realiza uma entrevista coletiva nesta segunda-feira (2), às 11h30, onde prestará esclarecimentos sobre a parceria.

Entre outras declarações polêmicas, Adalberto afirmou que teme pelo futuro do BFC e classificou a administração do atual presidente do clube, Dmitri Abreu, como irresponsável”. “A Diretoria Executiva e Social do Botafogo Futebol Clube dirige-se à coletividade Botafoguense para manifestar seu repúdio às leviandades proferidas pelo sócio investidor da companhia Botafogo Futebol S/A em recente entrevista que concedeu”, diz a nota.

Adalberto resolveu se manifestar uma semana depois de matéria publicada pelo Grupo Thathi demonstrar a existência de um contrato no qual a BFSA abre mão de parte das receitas a que teria direito para a empresa Trexx, de Adalberto Batista.

Miguel Mauad

A nota ainda condena Batista pelas declarações dele que insinuaram que o conselheiro do BFC e da empresa BFSA Miguel Mauad estaria votando contra a parceria por conta de um desentendimento pessoal com Adalberto. O investidor informou que Mauad tentou vender um terreno de sua propriedade para a BFSA e, depois que o negócio não caminhou, começou a votar contra a parceria.

“No entanto, neste triste momento, registramos nossa incredulidade com relação às afirmações e/ou insinuações feitas pelo investidor à pessoa do Dr. Miguel Mauad Neto. O Dr. Miguel, além de ser um dos grandes nomes da história do nosso clube, sempre mostrou ser pessoa da mais alta integridade e respeitabilidade em nossa sociedade”.

O BFC informou, ainda, que pretende continuar com a parceria, mas que não aceita os atuais termos. “Desta forma, reiteramos repúdio, pois nossa intenção é a de trazer equilíbrio ao negócio realizado, respeitando o esforço de uma coletividade que com muito suor construiu um patrimônio material e imaterial invejável”.

Outro lado

Procurado, Miguel Mauad informou que jamais fez qualquer negócio que trouxesse prejuízo ao Botafogo Futebol Clube, mas informou que iria se pronunciar sobre o assunto durante a entrevista coletiva. A empresa BFSA foi consultada, mas não se manifestou sobre a nota até o momento.