Acusado de matar Ayshla deixa hospital e vai para penitenciária

Ex-padrasto é acusado de esfaquear a enteada 60 vezes

A menina Ayshla foi esfaqueada pelo ex-padrasto 60 vezes

Reginaldo Gomes Gertrudes, 37, foi levado nesta segunda-feira (24) para a Penitenciária de Serra Azul, após ter a prisão preventiva decretada ratificada. Reginaldo recebeu alta do Hospital Santa Casa de Misericórdia, onde permanecia internado desde o assassinato de Ashyla, 10, sob escolta de policiais militares.

A Justiça de Ribeirão Preto acatou a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE ) contra  ex-padrasto de Ayshila Vitória, 10, acusado do brutal infanticídio da menina com 60 facadas, em maio deste ano, na zona Norte de Ribeirão Preto. Reginaldo Gomes Gertrudes é considerado réu por estupro de vulnerável, homicídio doloso qualificado, agravado por violência doméstica, meio cruel, recurso que não possibilitou a defesa da vítima e motivo torpe.

Policiais militares afirmam que o ex-padrasto da menina confessou o crime, entretanto, para policiais civis, relatou que que não se lembrava do que tinha acontecido na residência quando ocorreu o infanticídio.

Veja mais sobre o caso:

Menina de 10 anos é assassinada no Ipiranga

Corpo de menina morta no Ipiranga tinha sêmen e sinais de luta, diz delegada

Acusado de matar e estuprar menina aguarda por cirurgia na Santa Casa

 Padrasto suspeito de abusar e matar menina de 10 anos é encontrado

Ayshila foi esfaqueada 60 vezes

Nenhuma postagem para exibir