Moradores denunciam superlotação e falta de higiene em ônibus do transporte coletivo em Ribeirão

Irregularidades continuam mesmo após repasse milionário da prefeitura a consórcio que administra as linhas na cidade

Linha Nova Aliança, imagem ilustrativa Foto: Rede Social

Mesmo com o início do envio do repasse de R$17 milhões ao PróUrbano, a população ainda flagra irregularidades no transporte público coletivo de Ribeirão Preto. Dessa vez, duas moradoras denunciam superlotação e falta de higiene em linhas da frota. Problemas quebram cláusulas do acordo entre a prefeitura e o Consórcio para o repasse do dinheiro, que teve a primeira parcela enviada no dia dez de junho

A primeira queixa é da Cristiane Laine que registrou um vídeo onde o ônibus que faz a linha 305 Nova Aliança aparece em péssimas condições de higiene, inclusive com poeira acumulada. A moradora acredita que o veículo estava daquela forma por estar há muito tempo parado e por ter sido utilizado sem passar pela limpeza. “É deplorável, nojento mesmo”, disse. 

Além da sujeira, Cristiane denunciou que o ônibus estava sem letreiro e numeração. “A gente não sabe para que destino vai, tem que ficar perguntando”.

Outro questão apontada pela moradora foi o fato de que o motorista do veículo estava sem máscara e colocou o equipamento de proteção somente depois do embarque dos passageiros. “É um descaso”, desabafou. 

Veja as condições do veículo no vídeo abaixo: 

Superlotação 

Em outro vídeo, desta vez enviado por uma moradora que utiliza o veículo que faz a linha Centro-Ribeirão Verde, por volta das 5h30, o coletivo aparece com pessoas em pé e aglomeradas. Situação que foi proibida durante a pandemia da Covid-19 para evitar a transmissão da doença entre os passageiros. 

De acordo com a moradora, a linha tem registrado superlotação todos os dias, devido à diminuição da frota. Ela conta que dois ônibus circulavam durante o horário, mas um deles foi cortado e agora os passageiros agora precisam espremer-se no das 5h30 para chegar ao trabalho no horário. “Imagina como vai lotado ônibus porque junta os passageiros dos dois horários”. 

“Nós que pegamos o primeiro horário para entrar às 6h na Purina, Santa Helena e outras empresas ali no Jóquei, estamos chegando atrasados porque essa é a única opção de linha pra nos levar até a empresa”, relata. 

Veja abaixo o vídeo registrado pela moradora: 

Segundo a moradora, os passageiros já chegaram a pedir para a Empresa de Trânsito e Transporte Urbano de Ribeirão Preto (Transerp) que seja realizada uma alteração nos horários para evitar o transtorno, mas não obtiveram sucesso. 

“Pedimos para colocar o Jamil Cury para ser o primeiro a passar as 5h  porque dá tempo de pegar o segundo ônibus, mas a Transerp ignora nosso pedido e coloca essa linha para passar aos domingos no primeiro horário, sendo que precisamos dele durante a semana”, reclama. 

Regras do repasse 

Aprovado pela Câmara de Ribeirão no dia 8 de junho, o repasse de R$17 milhões foi criado pela prefeitura após o PróUrbano alegar perda na arrecadação devido a pandemia da Covid-19. Apesar de aceito, o projeto recebeu emendas que a empresa deveria cumprir a partir do recebimento do dinheiro.

Segundo o documento, o Consórcio, responsável pela administração do transporte na cidade, teria que “reforçar as ações de higienização de veículos e equipamentos públicos que estão ao seu encargo, assim como medidas de proteção à saúde dos funcionários, para minimizar o contágio pelo coronavírus”.

Além disso, as frotas não poderiam ultrapassar o limite máximo de lotação, equivalente a 60% do total da capacidade de passageiros a serem transportados pelos veículos. Medidas que foram descumpridas nas denúncias. 

Outro lado 

Em nota, o Consórcio PróUrbano informou que a questão exposta por Cristiane foi “um problema pontual”, pois o veículo havia entrado em operação em caráter de urgência para substituir um outro que estava em manutenção. 

Já a Transerp, afirmou que os serviços de limpeza e conservação dos ônibus “são de responsabilidade do consórcio PróUrbano, no qual são realizados de forma rotineira, após o recolhimento dos veículos nas garagens”. Entretanto, a empresa disse que vai acionar o  Departamento de Fiscalização de Transporte para verificar a situação da linha em questão.

Em relação à segunda denúncia, o Consórcio disse que “as linhas estão sendo avaliadas para verificar a necessidade de maior oferta de horários”. A empresa afirmou ainda que na última quinta-feira (1º) o quadro de horários passou pela terceira ampliação e que novos ajustes estão sendo estudados. 

A Transerp informou ainda que o complexo de bairros do Ribeirão Verde é atendido por duas linhas de ônibus, a linha 402-Ribeirão Verde 1 – que possui no início da manhã os horários 4h45, 4h50, 5h04, 5h10 e 5h23 – e a segunda linha, sendo a 420 – Ribeirão Verde 2  – com os horários 4h54, 5h13 e 5h23 pela manhã.

Além disso, afirmou que “as referidas  linhas não tiveram nenhuma demanda sobre lotação no canal oficial desde o dia 1º de julho”. E afirmou que, para registrar qualquer solicitação, os usuários devem ligar no telefone 0800 7710118.

Nenhuma postagem para exibir