Doria vem a Ribeirão e inicia testes em humanos da vacina desenvolvida pelo Butantan

Governador estará no Hemocentro da cidade; testes da ButanVac devem durar quatro meses

João Doria, governador de São Paulo - Foto: Rede social

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), participa, às 11 horas, no Hemocentro de Ribeirão Preto, nesta sexta-feira (9), do início dos testes em humanos da ButanVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo Butantan.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, na última semana, o início dos testes. No total, 418 pessoas em Ribeirão Preto irão servir como cobaias nos testes do imunizante. No total, serão 5 mil voluntários, em três fases de testes, em todo o Estado.

Os voluntários terão idades acima de 18 anos e se inscreveram pela internet para participar dos testes. Eles receberão duas doses da vacina, sendo que um grupo receberá o imunizante e um outro, um placebo.

A previsão é que a o tempo de desenvolvimento dos testes dure aproximadamente quatro meses. O governador João Doria, entretanto, promete a divulgação dos primeiros resultados em no máximo 120 dias.

Testes

Além da etapa que será iniciada nesta sexta-feira, a vacina do Butantan passará ainda por outras duas fases. Ao longo do processo, será medida a eficácia do imunizante e também será feita a comparação entre o desempenho da nova vacina do Butantan contra a Covid-19 e outras vacinas que estão em uso.

Segundo Dimas Covas, responsável pelo Butantan, o imunizante deve custar menos que as outras vacinas e será produzido com a logística que a instituição já tem para a fabricação de imunizantes contra a gripe.

“É uma vacina já aperfeiçoada em vários sentidos, feita em uma base tecnológica disponível no Brasil, a mesma que usa a vacina da gripe, não só disponível como também com preço muito mais acessível e capacidade de produção muito grande”, afirma Dimas Covas.

Nenhuma postagem para exibir