Prefeitura multa construtora em quase R$1,5 milhão por obras paradas

As construções estavam paradas desde abril; tratam-se de dois viadutos um na avenida Brasil e outro na avenida Thomaz Alberto Whately

Obra de mobilidade urbana em Ribeirão Preto - Foto: FL Piton

A Prefeitura de Ribeirão Preto multou a Contersolo em quase R$1,5 milhão após rescindir dois contratos que tratavam sobre construção de dois viadutos na zona Norte da cidade. A medida foi publicada nesta quarta-feira (25), no Diário Oficial.

A decisão partiu do próprio município, isso porque as obras em questão estavam paradas desde abril. A primeira trata-se do viaduto da avenida Brasil com a avenida Mogiana, sob a ferrovia. O valor da pena foi de R$ 757.644,95.

Já a segunda é da avenida Thomaz Alberto Whately e a quantia a ser desembolsada pela empresa está avaliada em R$ 734.429,26. Os valores foram calculados com base em 10% do valor total de cada construção.

A justificativa usada para o abandono das obras, foi o aumento nos preços das matérias primas utilizadas no trabalho. 

Esta é a terceira punição que a empresa leva da administração municipal. Já que a mesma empresa interrompeu também o andamento de duas obras. Sendo também um viaduto e um túnel da Avenida Nove de Julho.

Anteriormente

Este não é o primeiro caso em que a Prefeitura rescinde o contrato com a Contersolo nesse ano. No dia 22 de julho, divulgado com exclusividade pelo Grupo Thathi, o Poder Público tomou a mesma medida contra a empresa.

O fato ocorreu após a empresa interromper as obras de viaduto na um túnel na Avenida Nove de Julho. A empresa chegou a ser condenada a pagar pouco mais de R$ 1 milhão. Na época, a informação foi veiculada com exclusividade pelo programa Thathi Repórter, depois de a empresa demitir 60 funcionários e encerrar o contrato com outros seis. 

Nenhuma postagem para exibir