Prefeitura de Ribeirão Preto diz que 13º do servidor vai atrasar

Salário está previsto para ser pago em 25 de novembro; Presidente do Sindicato dos Servidores fala em mobilização dos trabalhares

Foto: Divulgação.

O pagamento do 13º dos funcionários públicos de Ribeirão Preto vai sofrer um atraso, segundo declaração do Secretário da Fazenda, Manoel Jesus Gonçalves, em entrevista ao apresentador Chaim Zaher no programa Mentoria 2020 desta segunda-feira (11). 

Continua depois da publicidade

Essa não é a primeira vez que a prefeitura vai atrasar o salário, no ano de 2018 aconteceu o mesmo. No início de outubro deste ano, o governo municipal descumpriu decisão judicial e deixou de pagar servidores.

Segundo o secretário da fazenda, a determinação do prefeito Duarte Nogueira é que “servidores, educação e saúde são prioridades totais’, porém, a primeira parcela dos servidores não será paga em 25 de novembro, como estava previsto. 

“Quando você administra crise de caixa, você administra cada dia, e a vontade é pagar o 13º, agora garanto para você que em novembro nós não vamos conseguir pagar a primeira parcela, em 25 de novembro”, disse ele.

O presidente do Sindicato dos Servidores, Laerte Carlos Augusto, disse que as pessoas que trabalham precisam ter o salário pago em dia, “sobretudo o 13º, que as pessoas se programam para o fim do ano, faz parte de uma verba de caráter alimentar e nós estamos preocupados com essa situação”.

Repercussão

Augusto diz ainda que se realmente houver esse atraso, o sindicato vai tentar resolver a questão com o judiciário, que já tem acolhido a demanda e tem resolvido os problemas de descumprimento de lei da Prefeitura de Ribeirão Preto.

“Mas também estamos pensando que se o governo realmente não arcar com suas responsabilidades em relação ao pagamento dos servidores, vamos ter que tomar algumas atitudes. Estamos analisando esse cenário e vamos marcar uma reunião com urgência porque precisamos de informações concretas para passar para o funcionalismo. Mas estamos preocupados e esperamos que isso não ocorra, mas se ocorrer vamos buscar na esfera judicial para poder garantir aos nossos”, disse Augusto.

Ele fala também sobre uma possível mobilização caso o pagamento não seja feito, “o governo municipal tem que entender que tem que cumprir com suas obrigações e nos vamos estar cobrando e também não descartamos uma grande mobilização dos trabalhadores”. 

A reportagem do Grupo Thathi entrou em contato com a prefeitura municipal. A administração informou, em nota, que “ao longo desta semana, a administração municipal analisa a disponibilidade de caixa e a sua projeção para o mês de dezembro e, ao final desta semana, informará a previsão de pagamento de salários dos servidores da ativa, aposentados, pensionistas assim como o 13º salário”.