Na cola de Doria, Nogueira prorroga isolamento social até 31 de maio em Ribeirão Preto

Medida foi anunciada em entrevista coletiva nesta sexta; fiscalização da prefeitura irá multar quem não usar máscaras

Duarte Nogueira, prefeito de Ribeirão, em entrevista coletiva - Foto: Jairnei Capareli

O prefeito Duarte Nogueira (PSDB) declarou, em entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira (7), que decidiu prorrogar o decreto municipal que impõe isolamento social na cidade. Com a decisão, não serão revistas as categorias de empreendimentos que podem funcionar. A medida se alinha ao anúncio do governador João Dória (PSDB) e vale até 31 de maio.

A medida também revogou a autorização irrestrita para o funcionamento do comércio através de drive through, medida que havia sido implementada em Ribeirão nesta semana. “A decisão do governo do Estado nos impede de qualquer flexibilização”, disse o prefeito.

Segundo entidades ligadas ao setor comercial, são quatro bolsões autorizados para esse tipo de comércio: esplanada do Pedro II, o Largo Tiradentes, na região das ruas Mariana Junqueira e Visconde do Rio Branco; a General Osório, entre a Visconde de Inhaúma e a Barão do Amazonas; e, por sim, a região em frente à Catedral.

Nogueira ainda aproveitou para dizer que pessoas que não utilizarem as máscaras podem ser multadas. O trabalho original, entretanto, será de orientação, com a punição aos reincidentes. “As pessoas mais simples, elas fazem suas próprias máscaras. Dizer que não vai usar máscara por não ter condição de fazer é um argumento egoísta”, disse o prefeito.

A decisão vai de acordo ao adiantado pelo portal do Grupo Thathi, que informou, em primeira mão, que os especialistas da área da saúde afirmaram ser impossível a reabertura do comércio no atual cenário.

Pico

De acordo com o Boletim Epidemiológico desta sexta, são 343 casos confirmados na cidade, com oito mortes. São 994 casos descartados e, ao todo, 1748 notificações.

Benedito Maciel, superintendente do Hospital das Clínicas, afirmou que a cidade vive uma situação diferente do restante do Estado. “A nossa curva é mais lenta do que a do resto do Estado. Em termos do ponto de vista de saúde pública, o distanciamento social feito em Ribeirão foi muito positivo. Mas ninguém pode garantir que essa situação vai continuar de forma persistente”, disse.

Ele citou a pesquisa, realizada pelo Hospital das Clínicas, em parceria com a Prefeitura de Ribeirão e o Supera Parque, que apontou que 1,2% das pessoas da cidade já tiveram contato com o vírus que causa da Covid-19. Por conta desse baixo percentual, o especialista defendeu a medida. “Todos os países que adotaram a reabertura do comércio e o fim do isolamento fizeram isso com os casos em descendência, depois do pico. Não temos essa realidade. Por isso, acredito que a medida é sanitariamente correta”, disse.

Repercussão

Para a Associação Comercial e Industrial de Ribeirão, a prorrogação das medidas de isolamento mostra “falta de equilíbrio”, mas, para a entidade, trata-se da responsabilidade do governo estadual. “O governo do Estado trata de forma igualitária realidades absolutamente distintas. Ribeirão Preto possui baixíssimos índices de contaminação (1,21% da população), ocupação equilibrada de seu sistema de saúde e crescimento linear e não exponencial de novos casos”, diz.

Para a Acirp, o prejuízo é “enorme e desnecessário”; “Os especialistas em saúde pública entendem que o cenário de nossa cidade permite a flexibilização das atividades de forma responsável, com o uso de máscaras e demais precauções recomendadas pelos órgãos nacionais e internacionais de saúde”, disse.

A comerciante Edilaine Santos lamentou a decisão. “Vendi meu carro investir na minha loja e agora vou entrar em falência. Duro que até hoje estou em análise”, disse.

Rosemeire Moreno, que acompanhou o anuncio de Nogueira, criticou o prefeito nas redes sociais. “Cômico se não fosse trágico, Ribeirão está acabado mesmo. Doria e Nogueira, que vergonha. Seu pai era bem diferente”, disse.