Família de bebê com câncer na retina enfrenta dificuldades

O diagnóstico do tipo de câncer raro aconteceu no início deste ano e forçou a família a se mudar para Ribeirão Preto

Apenas 3% dos tumores em crianças são de Retinoblastoma e é mais comum em crianças entre 2 até 5 anos de idade

A família da bebê Maitê Louise, 1 ano, diagnosticada no início deste ano com Retinoblastoma, se mudou do Distrito Federal para Ribeirão Preto está passando por dificuldades financeiras. A pequena possui um tipo raro de câncer que afeta a retina.

A pequena e os pais tiveram de se mudar em busca de tratamento e agora estão dependendo de doações para se manterem na cidade, para buscar ajuda eles criaram um perfil no instagram, a vaquinha seria para alimentação e moradia na cidade, uma vez que o tratamento está sendo bancado pelo SUS. Segundo a mãe, na cidade onde moravam não haviam opções de tratamento.

O câncer

O pai da menina, conta que quando ela tinha 5 meses eles perceberam o que aparentava ser uma mancha no olho direito, no entanto, por serem pais de primeira viagem pensaram que era algo normal. Após um tempo, a mãe, Milena Lorrany Ribeiro da Silva, relata que notou um brilho maior no olho que apresentava a mancha, além de comentar que a menina não enxergava do lado direito.

Então no primeiro semestre deste ano os pais levaram a garota para uma consulta no Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF), nessa consulta o bebê de apenas um ano foi diagnosticada com o câncer e a família solicitou uma vaga no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (HC-FMRP).

A rotina

Ao se mudarem para Ribeirão Preto os pais da bebê acabaram ficando desempregados e o tempo tem sido escasso, uma vez que eles tem acompanhado a pequena na rotina de consultas de rotina e quimioterapia mensais. De acordo com Milena, a pequena tem reagido bem ao tratamento.

O Retinoblastoma

Apenas 3% dos tumores em crianças são de Retinoblastoma e é mais comum em crianças entre 2 até 5 anos de idade, além do fator idade a doença pode ser hereditária. O bebê que possui esse câncer maligno pode apresentar uma série de sintomas como: estrabismo, vermelhidão, baixa visão, conjuntivite, inflamações, dor ocular e a mais comum uma mancha branca na região do glóbulo ocular.

A doença pode afetar um ou os dois olhos e para obter o diagnóstico é necessário consultar um oftalmologista e realizar uma ultrassonografia, TC ou RM orbital.

Nenhuma postagem para exibir