Polícia federal deflagra operação de repressão ao tráfico interestadual de drogas

As diligências ocorrem simultaneamente em Campinas-SP, São Paulo-SP, Piracicaba-SP, Ribeirão Preto-SP e Redenção-PA.

Na manhã de hoje, 08/04/2022, a Polícia Federal deflagrou a Operação Bragi, voltada à repressão do crime organizado e do tráfico interestadual de drogas.

Policiais cumpriram 3 mandados de prisão preventiva, 3 mandados de busca e apreensão, 1 mandado de apreensão de veículo e 1 mandado de bloqueio de ativos financeiros. As diligências ocorrem simultaneamente em Campinas-SP, São Paulo-SP, Piracicaba-SP, Ribeirão Preto-SP e Redenção-PA. Num dos endereços foram apreendidos computadores, celulares e documentos.

A investigação teve início em maio de 2021. Durante esse período foram apreendidos 572 Kg de cocaína em dois eventos, nas cidades de Limeira-SP e Pau D’Arco-PA, quatro veículos pesados (caminhões e semirreboques), avaliados em R$640 mil, e identificadas movimentações bancárias milionárias. Duas pessoas foram presas em flagrante por crime de tráfico de drogas.

A organização criminosa atuava no transporte rodoviário de cargas de droga em meio a mercadoria lícitas. Inicialmente, o grupo dispunha de galpão em Limeira-SP para transbordo, armazenamento e posterior distribuição de cargas de drogas. Numa das apreensões, a carga de 388,6 Kg de cocaína era transportada em compartimento secreto construído no teto de baú frigorífico. Em outro caso, os 183,4 Kg de cocaína estavam na boleia de um caminhão que seguia de Sorocaba-SP para o estado do Pará.

Três pessoas tiveram a prisão preventiva decretada. Duas delas já estavam presas em decorrência de flagrantes lavrados em 2021. Um dos integrantes da organização, que exercia a função de líder e financiador, foi morto em 11/03/2022, em Ribeirão Preto-SP, vítima de disparos de arma de fogo.

Os presos ficarão à disposição da Justiça Criminal de Limeira. Eles serão indiciados pelos crimes de organização criminosa, tráfico interestadual de drogas e associação para o tráfico. As penas podem chegar a 43 anos de reclusão.

O nome da operação alude a uma divindade nórdica provedora de meios logísticos.

Setor de Comunicação Social da PF em São Paulo

Nenhuma postagem para exibir