Campanha na Itália permite a pacientes terminais com coronavírus dizer adeus a familiares

Ativistas doaram 20 tablets para que fossem registradas as mensagens

Spedali civili/Brescia

Na Itália, pacientes idosos com coronavírus ficam completamente distantes de suas famílias depois que são internados em hospitais.

Por conta do isolamento, centenas deles morreram sem se despedir de seus entes queridos.

“Você sabe o que é mais dramático? Observar os pacientes morrendo sozinhos, escutá-los pedir que se despeça de seus filhos e netos por eles”, disse a médica Francesca Cortellaro, do hospital San Carlo Borromeo, em Milão.

Há alguns dias, uma idosa pediu para ver a neta uma última vez antes de morrer. Então, Francesca pegou o telefone e ligou para ela em vídeo.

“Elas se despediram. Logo depois, ela se foi”, contou.

O relato da médica motivou um grupo de ativistas a liderar uma iniciativa para que os idosos isolados tenham a possibilidade de se despedir de seus familiares.

Para isso, eles adquiriram e distribuíram 20 tablets para realização de videochamadas no Hospital San Carlo. A ação foi batizada de “O Direito de Dizer Adeus”.

“A ideia de não ser capaz de dizer adeus me machuca mais do que a própria morte e existem outros locais com idosos, hospitais e asilos, onde não há mais a possibilidade de dizer adeus”, disse o vereador Lorenzo Musotto, um dos idealizadores da ação.

Nenhuma postagem para exibir