Boas práticas de uso do LinkedIn: tire o máximo proveito desta rede social

Monte um currículo assertivo e entenda outras práticas para conseguir utilizar da melhor forma o LinkedIn

Aluno utiliza internet para estudo - Foto: Agência Brasil

O Linkedin possui mais de 575 milhões de usuários pelo mundo, e o Brasil ocupa o 4º lugar no ranking de comunidades ativas. Ele existe para aqueles que buscam emprego, fazer networking, aprender novas habilidades ou planejar uma transição de carreiras, e possui uma série de serviços e soluções para isso.

Sua utilização exige maior cautela nos conteúdos compartilhados, imagens e posicionamentos. Afinal, você está em um ambiente onde empresas e profissionais compartilham suas experiências profissionais, conquistas e aprendizados. E como tirar melhor proveito do LinkedIn?

A especialista Fernanda Minniti, chefe de negócios em Ribeirão da Grow Group, empresa especializada no setor, afirma que a construção do perfil é importante. “O primeiro passo é a construção do seu perfil, que terá o formato de um currículo. Para que você tenha acesso às vagas e empresas que busquem pelo seu talento, um currículo claro e assertivo precisa estar disponível. Existem muitas dúvidas sobre quais pontos devem constar no currículo”, conta.

Confira algumas dicas:

  • Informações básicas: Nome completo, cidade e setor de atuação não podem faltar no currículo;
  • Objetivo profissional: Neste momento o quê/quais áreas e atividades dentro de sua formação você deseja realizar;
  • Resumo profissional e experiência: Seja sucinto e traga o nome das instituições onde atuou, área e atividades desenvolvidas no período. Se conquistou resultados, é hora de mostrar isso;
  • Formação acadêmica: tipo de formação, instituição, período a atividade que possa ter desenvolvido (exemplos: monitoria e pesquisa acadêmica);
  • Informações de contato: para que a empresa consiga conversar com você, disponibilize o meio que isso pode ser feito, como celular ou email.
  • Idiomas: item básico e muito requerido, seja honesto e informe ao recrutador se você possui habilidade de comunicação e escrita em outro idioma (básico/ intermediário/ avançado);
  • Cursos complementares e Informática: destaque aqueles que tenham aderência com o seu objetivo profissional e a vaga pretendida.

Habilidadades

Ainda segundo Fernanda, uma dica é ter cuidado com a forma como escreve o seu currículo, está permitido falar de habilidades que possua, mas com moderação. O currículo deve conter informações chave que saltem aos olhos do recrutador, e recomendamos cautela com as edições, cores e variedade de fontes no documento. Dispomos de um modelo editável de currículo para ajudar no fim da matéria.

“Vamos falar de imagem: o LinkedIn é uma rede social mais formal, pois mostra ao mundo sua carreira e habilidades. A dica é deixar as fotos com poses para outras redes sociais. Ali você deve mostrar seu ambiente de trabalho e sua representação como profissional, não é preciso ser uma foto 3×4 super séria. Uma foto bem produzida e que consiga mostrar seu rosto e parte superior do corpo, como num plano americano (cintura para cima) com uma luz adequada é uma boa orientação”, avalia.

Ela explica ainda que o feed do LinkedIn deve ser um local com temas e conteúdos que enriqueçam outros profissionais e chamem a atenção das empresas. “Muito cuidado ao se envolver em postagens polêmicas, se posicionar, criar um ambiente de discussão e encher o feed com conteúdos que não agreguem valor, isso pode te prejudicar na hora de ser recrutado por um agente ou empresa”, finaliza.

Dica premiada

Baixe um modelo de currículo editável aqui

Nenhuma postagem para exibir