Vídeo | Enfermeira recebe a primeira dose da vacina contra a Covid-19 em São Paulo

Ao lado de João Doria (PSDB), a enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, recebeu a primeira dose da vacina na tarde deste domingo (17)

Mônica Calazans, primeira pessoa a ser vacinada no Estado de São Paulo - foto: Reprodução
Continua depois da publicidade

Após a aprovação do uso emergencial da vacina CoronaVac pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), na tarde deste domingo (17), a enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, foi a primeira paulista a receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19 no Brasil.

A enfermeira tem perfil de alto risco para complicações da covid-19, pois é obesa, hipertensa e diabética. Em maio, quando a pandemia atingia alguns de seus maiores picos, Mônica se inscreveu para vagas de CTD (Contrato por Tempo Determinado) e, dentre vários hospitais, escolheu trabalhar no Emílio Ribas, mesmo ciente de que a unidade estaria no epicentro do combate à pandemia.

“Quem cuida do outro tem que ter determinação e não pode ter medo. É lógico que eu tenho me cuidado muito a pandemia toda. Preciso estar saudável para poder me dedicar. Quem tem um dom de cuidar do outro sabe sentir a dor do outro e jamais o abandona,” disse Mônica.

A cerimônia contou com a participação do governador João Doria (PSDB), que afirmou hoje ser o Dia V, o dia da vacina, da vitória, da verdade e da vida.

“Hoje é um dia muito especial para milhões de brasileiros que estão sofrendo com a COVID-19 em hospitais, centros de atendimento e em suas casas. E também aos que estão em quarentena, se protegendo e ajudando a proteger suas famílias. Hoje é o Dia V, o dia da vacina, da vitória, da verdade e da vida. Quero dedicar este dia aos familiares dos 209 mil mortos pela COVID-19”, afirmou Doria.

A partir desta segunda (18), entra em operação o plano logístico de distribuição de doses, seringas e agulhas, com envio das grades para imunização de trabalhadores de saúde de seis hospitais de referência do estado: HCs da Capital e de Ribeirão Preto (USP), HC da Campinas (Unicamp), HC de Botucatu (Unesp), HC de Marília (Famema) e Hospital de Base de São José do Rio Preto (Funfarme).

As unidades foram selecionadas para a fase inicial porque são hospitais-escola regionais, com maior fluxo de pacientes em suas áreas de atuação. Todos devem iniciar nesta semana a vacinação de suas equipes, que totalizam 60 mil trabalhadores.

 

 

Nenhuma postagem para exibir