Saúde investiga caso da variante ômicron em RP

Para tentar impedir a chegada da Ômicron ao país, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, determinou que voos com origem de países do sul da África não poderão desembarcar no Brasil.

A Prefeitura de Ribeirão Preto confirmou que a Secretaria Municipal da Saúde está investigando um caso de covid-19 que pode ter sido ocasionado pela nova variante do novo coronavírus, a chamada de Ômicron.

A nova variante foi identificada primeiramente em Botsuana, país vizinho da África do Sul em meados de novembro. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Ômicron pode se tornar a principal responsável por novos casos de covid-19 na província africana.

A nova cepa do vírus, já foi encontrada Lesoto, Namíbia, Zimbábue, Eswatini, Hong Kong, Israel, Bélgica, Portugal e Reino Unido.

Nos casos analisados, constatou-se que a Ômicron é portadora de dezenas de mutações genéticas que podem afetar os índices de contágio e de letalidade. A OMS, entretanto, afirmou que ainda não há estudos suficientes para afirmar as propriedades da variante.

O Brasil ainda não registrou nenhum caso da nova variante. Para tentar impedir a chegada da Ômicron ao país, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, determinou que voos com origem de países do sul da África não poderão desembarcar no Brasil.

A Pfizer, responsável por uma das vacinas contra o novo coronavírus, afirmou que espera conseguir colocar no mercado uma nova versão do imunizante que seja eficaz contra a variante Ômicron em um prazo de até 100 dias. A eficácia das vacinas existentes ainda não foi testada em relação à nova variante.  

Nenhuma postagem para exibir