Ribeirão registra 13 mortes e se aproxima da zona vermelha

No total, 1.140 pessoas já morreram devido à doença na cidade; total de casos chega a 43,8 mil

Teste de covid-19 realizado por profissional da saúde - Foto: Agência Brasil
Continua depois da publicidade

A cidade de Ribeirão Preto confirmou, nesta terça-feira (9), 13 novas mortes causadas pela Covid-19 na cidade. Além disso, o município bateu 81% de ocupação dos leitos de unidade de terapia intensiva (UTI), o que colocaria a cidade na zona vermelha do Plano São Paulo se a classificação ocorresse hoje.

Atualmente na zona laranja no Plano São Paulo, a cidade precisa obter índice inferior a 75% de ocupação nas UTIs, além de mostrar indicadores controlados em outros critérios, como a média móvel de novos casos e de mortes por cem mil habitantes. No momento, estes dois índices também apresentam números de zona vermelha.

Entre as novas mortes, são sete de pacientes do sexo masculino e seis do feminino. A paciente mais novo tinha 58 anos e a mais velha, 89. Dez pacientes tinham comorbidades e as mortes ocorreram entre os dias 1º de fevereiro e 7 do mesmo mês.

Final de ano

No total, 1.140 pessoas já morreram devido à doença na cidade e total de casos, de acordo com dados da prefeitura, chega a 43,8 mil.

O secretário da Saúde de Ribeirão, Sandro Scarpelini, credita os problemas observados nos últimos dias, com os respecitivos aumentos de casos e mortes, às festividades do fim do ano. “Não foram só os casos de quem pegou no fim do ano. Cada um desses voltou e passou a doença para outros dez. Além disso, a repercussão dos casos dentro do hospital demora mais tempo. Houve paciente que pegou a doença em agosto, mas morreu em fevereiro”, disse.

Scarpelini afirmou, ainda, que não vê a existência de novas cepas do vírus, mais agressivas. “Nosso problema ainda é anterior, não temos essa realidade aqui”, disse.

Nenhuma postagem para exibir