Ribeirão Preto recebe mais 17 mil doses da Coronavac para programa de vacinação da cidade

Segundo o boletim epidemiológico, janeiro foi o pior mês em número de casos desde setembro de 2020

Imagem ilustrativa da vacina Coronavac - Foto: Agência Brasil
Continua depois da publicidade

Ribeirão Preto recebeu, nesta terça-feira (9), um lote com 17.045 doses da vacina Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Segundo a prefeitura, 12.370 doses serão destinadas para complementação da imunização dos profissionais da saúde com a segunda dose e 4.675 abastecerão a etapa de imunização de idosos com 85 anos ou mais, que começa nesta quinta-feira (11).

Mesmo com o início da vacinação de idosos com 85 anos ou mais, a campanha para idosos com 90 anos ou mais continua normalmente. “O agendamento continua para essa faixa etária simultaneamente, isto é, está aberto ainda o agendamento para essas pessoas, para quem perdeu, não conseguiu agendar”, afirmou Scarpelini, secretário municipal da Saúde.

Com relação à segunda dose da Coronavac, de acordo com o secretário da Saúde, a vacina deverá ser aplicada em quem tomou a primeira dose, a partir do 21º dia da aplicação. Sobre a vacina britânica AstraZeneca, a aplicação da segunda dose deverá ser feita no prazo de três meses, segundo a prefeitura.

Vacinação para idosos com 85 anos ou mais

Começa nesta quinta-feira, dia 11, das 8h30 às 15h, a vacinação contra o novo coronavírus para idosos na faixa etária de 85 anos ou mais nos 36 postos de vacinação da cidade.

O agendamento deve ser feito pelo site ou pelos telefones 3977-9441 ou 3977-9442.

A imunização seguirá no dia 12 e retornará após o feriado de Carnaval, na quarta-feira, dia 17, a partir das 13h30, e prossegue até sábado, dia 20.

A capacidade será de vacinação, segundo o secretário da saúde é de cerca de duas mil doses por dia, somando todos os postos de vacinação de Ribeirão Preto.

Boletim Epidemiológico

Segundo o último boletim epidemiológico, divulgado nesta quarta-feira (10) pela Secretaria da Saúde, o mês de janeiro foi o pior mês em relação ao número de casos desde setembro de 2020.

No total, 48,5 mil pessoas foram diagnosticadas na cidade desde o começo da pandemia. Outros 1,3 mil aguardam o resultado dos exames.

Desde o início da pandemia, em março de 2020, 1.155 pessoas já perderam a vida na cidade.

Nenhuma postagem para exibir