Ribeirão é a cidade que registra mais mortes por covid-19 no Estado, mostra estudo

Dado consta de levantamento feito pela Abramet e considera cidades com mais de 500 mil habitantes

UPA Treze de Maio - Foto: Corrêa Junior

Ribeirão Preto é a cidade que tem mais casos de covid-19 por cem mil habitantes em todo o Estado de São Paulo. O dado se refere a cidades com mais de 500 mil habitantes e foi divulgado nesta semana pela Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet).

O estudo foi feito pela comissão de estudos epidemiológicos para enfrentamento da Covid-19 da Abramet com base nos dados divulgados pela Fundação Seade que compila todas informações referentes a pandemia do novo coronavírus no estado.

Segundo o levantamento, Ribeirão tem 112,2 casos para cada cem mil habitantes, o maior índice estadual. Em segundo aparece Guarulhos, com 107,5 mil casos, e em terceiro a capital, com 107,3 casos por cem mil habitantes. A média do Estado de São Paulo é de 81,3 mortes, mostra o levantamento.

No computo geral, envolvendo todas as cidades do Estado, Ribeirão aparece na 11º colocação. A líder é Santos, com 149,3 casos a cada cem mil habitantes. Já São Carlos, com 18,3 mortes, é a cidade mais bem sucedida no combate ao covid, segundo o Estudo.

Análise

Segundo Carlos Alberto Guglielmi Eid, o levantamento retrata a atual situação e serve para que os gestores observem o trabalho realizado e o sucesso das medidas adotadas no combate à pandemia.

“O governo do estado de São Paulo publica todos os dias os números de óbitos notificados. O nosso trabalho é pegar esses dados e unir com o número de habitantes das cidades, fazer cálculos e produzir o gráfico. No momento que você mostra os resultados as pessoas se assustam”, disse.

Ele ressalta que a pandemia está longe do fim. “A pandemia não passou. Falam em segunda onda, mas, na nossa análise, em muitas cidades do estado de São Paulo não vão ter segunda onde porque dificilmente vão sair da primeira”, disse.

O professor Domingos Alves, da Universidade de São Paulo (USP), considera que, independente da liderança, o alto número de mortes indicado na pesquisa mostra erros na condução do processo de combate à pandemia. “Estamos chegando em 800 óbitos. Temos uma excelente estrutura médica, mas a gestão deixou a desejar. E temos, nesse caminho, uma eleição. Você olha os dados com uma certa desconfiança”., disse.

Para o professor, a situação está longe da ideal. “Temos um número de casos se mantendo em valores altos, os óbitos tem caído, mas permanecem em valores altos. A única novidade positiva é a queda nas internação”, disse. “Na minha opinião, houve, em nossa cidade, uma politização desnecessária da crise”, disse.

Outro lado

A prefeitura foi questionada, por e-mail, sobre os motivos que acredita que fizeram a cidade ser considerada a pior no combate ao covid-19 na lista, mas não houve resposta até a publicação da matéria.

A administração também foi perguntada sobre se acredita que esse dado demonstra que o combate à doença na cidade não foi bem sucedido, e também sobre se o fim do atendimento exclusivo na Unidade de Pronto Atendimento da 13 de Maio pode piorar a situação, mas também não obteve resposta.

Se alguma das perguntas for respondida, a informação será atualizada.

Nenhuma postagem para exibir