Ribeirão chega a 876 casos confirmados de dengue

Dados foram divulgados pela Secretaria da Saúde; Prefeitura vê situação problemática

Mosquito transmissor da dengue - Foto: Foto: PixaBay.

A Secretaria da Saúde de Ribeirão Preto confirmou que os casos confirmados de dengue na cidade chegaram a 876. É o segundo maior número de casos no mês de janeiro da história. Os casos se concentram nas regiões Norte e Oeste da cidade.

Levantamento realizado pelo Departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal da Saúde mostra que, em comparação ao mesmo período de 2019, quando foram registrados 259 casos da doença, houve um aumento de 238,22% nos casos de dengue.

No último sábado, a morte por suspeita de dengue de uma criança de 10 anos foi registrada. Em janeiro, outra criança, uma menina de oito anos, também morreu em decorrência da sengue. “É uma tristeza para todos nós. Estamos todos consternados. Não temos ainda o diagnóstico da morte dessa criança, não temos ainda certeza se ela morreu dengue, ela pode ter outra comorbidade que se agravou com o quadro de dengue. Só teremos certeza quando tivermos todos os resultados dos exames”, declarou Sandro Scarpelini, secretário de Saúde.

Atendimento

A pasta informou que a criança foi atendida na UBDS da Vila Virgínia durante a última semana e encaminhada para internação na Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas no dia 31 de janeiro, onde permaneceu hospitalizada e veio a falecer.

“Mais uma vez estamos aqui para pedir ajuda da imprensa na divulgação do aumento do número de casos e pedir que a população mantenha as casas limpas, porque estamos com índice de infestação alto, estamos com índice de bretaux altíssimo”, alertou Scarpelini.

Mais doenças

Já para a chikungunya, não houve nenhum caso confirmado da doença em janeiro de 2020. Também não foi notificado nem investigado nenhum caso de zika vírus em Ribeirão Preto no período. Casos de microcefalia ou outras alterações neurológicas possivelmente relacionadas à infecção pelo zika vírus também não foram registrados em janeiro de 2020.

De acordo com o Boletim Epidemiológico, não houve registro de febre amarela em novembro deste ano.  Desde 2016 não há registro de casos da doença em Ribeirão Preto.

Com relação à Síndrome Respiratória Aguda Grave (gripe causada pelo vírus Influenza), não foi confirmado nenhum caso em janeiro de 2020. No período, também não foi confirmado nenhum caso de sarampo em Ribeirão Preto.

O Boletim Epidemiológico está disponível na página da Prefeitura.