Ribeirão bate mais um vez o recorde de mortes por Covid-19

No ano, Ribeirão ultrapassa sua terceira marca inédita em mortes.

Médicos atendem paciente em Unidade de Terapia Intensiva - Foto: Agência Brasil

Esta é a segunda vez, somente neste mês, que a cidade ultrapassa a maior marca em número de óbitos. No último dia oito, o município registrou 33 ocorrências, frente a 32 em abril de 2021.

No ano, Ribeirão ultrapassa sua terceira marca inédita em mortes. Nos registros desta segunda, há duas pessoas acima dos noventa anos, sendo que a mais velha era uma mulher com 96 anos. Já a mais nova trata-se de uma menina de 18 anos e sem comorbidades.

Agora, a cidade soma, desde o início da pandemia, 2.376 óbitos, sendo que 1.332 são dos primeiros seis meses de 2021, frente a 1.044 de todo o ano de 2020.

Quanto às novas infecções, Ribeirão confirmou 558 ocorrências. Neste momento, o semestre inicial de 2021 conta com 44.881 registros, de um total de 86.829 ocorrências.

Análise

Em entrevista ao Grupo Thathi, o professor Domingos Alves disse que os números estão aumentando há mais de dois meses e que, no acumulado, mostra que Ribeirão Preto está em colapso do sistema de Saúde.

“O que ninguém está olhando é que no último boletim, da semana passada, tiveram 4,5 mil novas notificações. São esperados que 10 a 15% tenham infecções e vá ser internado” e afirma que os números que temos poderão ficar piores.

Leitos Covid

Segundo a plataforma leitoscovid.org, a taxa de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) do município está em 91, 08% Significa que, dos 325 leitos oferecidos, 296 estão em uso.

Já as enfermarias dentre os 359 leitos oferecidos não estão disponíveis 299, isso corresponde ao percentual de 83,29% do total oferecido.

Nenhuma postagem para exibir