Pai de paciente questiona se morte do filho foi causada por apagão na Santa Casa de Ribeirão Preto

Ministério Público abriu inquérito para investigar se morte de André Meloni, de 25 anos, teve relação com pane elétrico, Santa Casa nega a relação

De acordo com pai de André, médicos não informaram que o filho poderia morrer na noite de domingo Foto: TV Thathi

“Cada enfermeira ficou com um paciente para eles não morrerem. Foi triste, doloroso. Uma noite que eu não vou esquecer nunca mais”, esse foi o relato dado por uma das enfermeiras da Santa Casa de Ribeirão Preto, sobre uma pane que deixou o hospital sem energia por quatro horas, no último domingo (4). O episódio resultou em um inquérito, que está sendo investigado pelo Ministério Público, para apurar a causa do problema e se o mesmo foi responsável pela morte de André Meloni, de 25 anos.  

O pai do paciente, Marco Meloni, procura por respostas. Ele conta que antes do apagão acontecer a situação do filho era grave e que os médicos haviam contado que o objetivo era cuidar de seu pulmão, por meio dos respiradores, mas “em nenhum momento eles me disseram que o André corria o risco de morte naquela noite, só me disseram que ele estava em estado grave na UTI e que necessitava do aparelho”.

Porém, por volta das 6h20, na manhã de domingo, Meloni recebeu uma ligação dos médicos pedindo ao pai do paciente para ir ao hospital. Chegando lá, veio a notícia. “Eles me disseram ‘pai, infelizmente seu filho teve uma parada cardíaca na madrugada e não resistiu’”. 

Dúvida

Um dia após receber a notícia sobre a morte do filho, uma informação chegou. Meloni recebeu notícias sobre o apagão na Santa Casa e desde então se questiona sobre a relação entre a pane no sistema elétrico e a morte do filho. “Ouvi vários relatos de pessoas de lá de dentro e com aquilo pensei que precisava averiguar”.

Confira a entrevista de Correa Júnior com o pai de André

Em um áudio enviado a uma amiga, uma enfermeira do hospital relatou os momentos que viveu durante o apagão. Ela retrata tumulto entre os médicos para conferir os sinais vitais, cuidar dos pacientes e encontrar aparelhos que funcionassem por bateria. “Você vê enfermeiro ajoelhando no chão e pedindo misericórdia, enfermeiro chorando, enfermeiro correndo, foi assim, assustador”, disse.

Para o pai de André, resta a dúvida. “O meu filho morreu porque realmente teve uma pane? Ele tinha chances de sobreviver? É só isso que eu preciso saber”, conta.

Inquérito

Na terça-feira (6), o Ministério Público informou que vai investigar o apagão e se este causou complicações na saúde dos pacientes. Em nota, a Santa Casa de Ribeirão Preto afirmou que averigua possível causa da falta de energia, mas afirmou que a manutenção do prédio estava em dia e que nenhuma morte teve relação com a pane elétrica.

Nenhuma postagem para exibir