Organização Mundial da Saúde eleva risco de epidemia de corona para “muito alto”

Nota foi emitida pela entidade nesta sexta; região tem pelo menos cinco casos suspeitos; confira dicas para evitar o contágio

Tedros Adhanom, diretor da OMS, durante entrevista coletiva - Foto: Agência Brasil

A Organização Mundial da Saúde (OMS) elevou, nesta sexta-feira (28), para “muito alto”, o maior possível, o risco mundial da epidemia de Covid-19, a infecção causada pelo novo coronavírus. Nesta sexta-feira, a agência de Saúde da ONU disse que há, além de China, casos registrados da doença em outros 49 países.

“Nossos epidemiologistas têm monitorado o avanço da doença constantemente”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em coletiva. “Agora aumentamos nossa avaliação do risco de propagação e do risco de impacto do Covid-19 para ‘muito alto’ em um nível global.”

No Brasil, há apenas um caso confirmado, e outros 132 estão sob suspeita. A região de Ribeirão Preto concentra ao menos cinco casos, sendo dois deles em Ribeirão, um em Franca, um em Batatais e um em Pirassununga. 

Nesta sexta, o Hospital das Clínicas, instituição nomeada como referência para o acompanhamento de casos envolvendo o coronavírus na região, confirmou o primeiro caso suspeito de infecção pelo COVID19 na rede pública de Ribeirão Preto. É uma mulher, de 72 anos, com algumas comorbidades e que esteve, recentemente, em viagem à Europa, especialmente, na Itália e França. Amostras de sangue foram enviadas para o Instituto Adolf Lutz, que deve confirmar ou não o caso nos próximos dias.

Recomendações

Benedito da Fonseca, médico infectologista do HC, faz questão de ressaltar, entretanto, que o caso não é para desespero. “Vejo muitas pessoas usando máscaras. Não é o caso, não se trata de uma exposição em larga escala. O importante é lavar as mãos com água e sabão e usar, quando possível, o álcool em gel”, conta.

Confira dicas para se prevenir contra a infecção:

Higienize as mãos – Lave suas mãos frequentemente com água e sabão ou com uma solução de álcool em gel. Por quê?  Esfregar as mãos ajuda a eliminar traços do vírus que podem estar presentes em lugares de uso comum.

Mantenha distância social – Mantenha pelo menos um metro de distância de pessoas que apresentam tosse ou espirros constantes. Por quê? A tosse e o espirro propagam pequenas gotas de secreção e saliva que podem conter vírus. Com a proximidade, a chance de respirar ou ter contato essas gotículas aumenta.

Evite tocar os olhos, o nariz e a boca – Evite coçar, esfregar ou ter qualquer tipo de contato com as mucosas. Essas áreas têm contato direto com a corrente sanguínea e são mais sensíveis à presença de agentes de contaminação. Por quê? As mãos estão em contato constante com superfícies que podem ser vetores de transmissão de vírus e bactérias. Mantê-las longe das mucosas diminui a chance de ficar doente.

Pratique higiene respiratória – Tenha boas práticas de higiene respiratória. Isso significa cobrir a boca e o nariz com o braço curvado ou com um lenço de tecido ou papel ao tossir e espirrar. Descarte ou higienize o material usado imediatamente. Por quê? Gotículas de saliva e secreção são vetores do Covid-19. Evitar que outras pessoas entrem em contato com saliva contaminada evita não apenas o coronavírus, mas uma série de doenças respiratórias.

Em caso de febre ou dificuldade respiratória, busque ajuda médica rapidamente – Não saia de casa se estiver com febre. Se os sintomas persistirem e caso haja dificuldade respiratória, busque atenção especializada imediatamente. Por quê? Apesar de serem sintomas comuns, uma ação rápida pode evitar problemas mais sérios e o desenvolvimento de sintomas mais graves de infecções respiratórias.

Uso de máscaras – Pessoas saudáveis, sem sintomas como febre, tosse ou espirros não precisam usar máscaras. Por quê? Apenas profissionais de saúde e pessoas que apresentem sintomas parecidos com os do novo coronavírus precisam usar máscaras. A função das máscaras é conter a propagação do vírus em quem já está infectado. A OMS recomenda o uso racional das máscaras.

Fique bem informado e siga os procedimentos do Ministério da Saúde – Por quê? Autoridades nacionais e locais têm a informação mais atualizada sobre a situação de saúde na sua área. Tomar atitudes preventivamente ajuda o sistema de saúde a distribuir e compreender de maneira ágil a disseminação de qualquer doença.

Nenhuma postagem para exibir