Entidades reúnem empresas para produção de máscaras em Ribeirão Preto

ACIRP, Sindiverp e Ciesp articularam empresas de confecção de roupas para suprir a demanda por máscaras no período de crise do coronavírus

máscara sendo feita - foto: Senai

ACIRP (Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto), Sindiverp (Sindicato das Indústrias do Vestuário de Ribeirão Preto) e Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) reuniram esforços para articular, junto a indústrias do setor de confecção, a produção de máscaras comuns e também modelos de máscaras desenvolvidos pelo Senai (Serviço Nacional de Aprendizado Industrial) que seguem os padrões da ABNT.

A ação tem múltiplos objetivos. O principal deles é suprir a demanda de empresas de segmentos onde a máscara é exigida como EPI (equipamento de proteção individual) para os trabalhadores em atividade.

A produção também proporcionará uma maior oferta de máscaras alternativas para a população e empresas em geral e ainda garante a manutenção da atividade industrial nas fábricas envolvidas.
“Sabemos que, por conta do coronavírus, teremos o uso contínuo de máscaras durante os próximos meses. Com esta parceria, buscamos ajudar na engrenagem do setor industrial, dando fôlego às empresas e colaboradores, além de suprir a demanda de máscaras tanto para as empresas quanto para a população em geral”, esclarece Dorival Balbino, presidente da ACIRP.

Para o presidente do Sindiverp, Nelson Gagliardi, a mobilização foi uma oportunidade de realocação das atividades fabris do setor têxtil neste momento de dificuldade econômica. “Entramos em contato com as empresas para ver quem tinha interesse de se voltar à produção de máscaras e nos ajudar nesta demanda. Assim, conseguimos garantir o funcionamento das indústrias e a manutenção dos empregos”, conta.

Guilherme Feitosa, Diretor do Ciesp de Ribeirão Preto e um dos articuladores da iniciativa entende que “esse modelo de reconversão da capacidade produtiva para atender necessidades da pandemia pode e deve ser seguido por outros setores da indústria, pois serve a necessidade urgente de substituir insumos importados e também é uma forma das empresas terem receita em um momento de queda das atividades.”

As entidades também estão se encarregando de articular o contato entre fabricantes e compradores. A relação das empresas está disponível aqui.

O Senai também disponibiliza manuais técnicos para produção de para máscaras caseiras alternativas seguindo as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Interessados podem buscar informações clicando aqui.

Nenhuma postagem para exibir