“É desumano o que está acontecendo com nós funcionários que atuamos na UPA Norte”

Recém inaugurada, a UPA Norte, localizada no bairro Adelino Simini, enfrenta diversos problemas, como atendimento, estrutura e superlotação de pacientes

Foto: Alexandre de Azevedo/ Prefeitura de Ribeirão Preto
Continua depois da publicidade

Em plena pandemia da Covid-19, a UPA Norte, recém inaugurada no bairro Adelino Simioni, enfrenta diversos problemas, como o atendimento, a estrutura e a superlotação de pacientes. “É desumano o que está acontecendo com nós funcionários que atuamos na UPA Norte”, afirmou um funcionário que pediu para não ser identificado.

A demanda para atendimento, segundo informações apuradas pelo Grupo Thathi, tem sido muito alta, principalmente nos últimos dias. “Várias pessoas estavam lá desde às 15h e até às 21h não tinham sido atendidas. É muito descaso dessa UPA, alguém precisa tomar uma providência”, afirmou Elaine, mãe de uma jovem com suspeita de Covid-19 que precisou ser atendida no Posto de Saúde.

“A gente paga imposto, e a gente tá sofrendo. Inaugurou a UPA, a gente ficou feliz aqui no bairro, depois de tantos anos. O prefeito tem que tomar uma providência, a gente deu voto de confiança para ele para ele poder ajudar a gente, principalmente na saúde”, continuou.

Problemas estruturais

Devido a falta de um estacionamento próprio para os funcionários da UPA, os mesmos precisam estacionar em um supermercado próximo ao Posto de Saúde. Com isso, diversos médicos e enfermeiros são flagrados utilizando jalecos no caminho até o hospital.

A Lei nº 14.466, sancionada no estado de São Paulo, proíbe os profissionais da área da saúde de circular fora do ambiente de trabalho trajando jalecos e aventais. Dessa forma, o infrator está sujeito a pagar multa inicial de R$ 174,00.

Uma pesquisa realizada pela PUC de São Paulo apontou que 95% dos jalecos que passaram por análise estavam infectados por bactérias e até micro-organismos, que podem acarretar problemas graves como infecções hospitalares.

O mato alto na calçada da UPA também apresenta riscos para moradores da região e pacientes. Nesta semana, uma cobra foi encontrada na calçada por moradores. “Nós estávamos sentados aqui na porta de casa e derrepente o mato mexeu, ai eu corri e fui ver, e era uma cobra vermelha e preta enorme, eu acho que isso aqui está abandonado”, disse uma senhora que reside nas proximidades da UPA 24 horas.

Outro lado

Em nota, a Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto, através da Secretaria da Saúde, informou que “houve aumento na demanda de atendimentos na UPA Norte, inclusive reforço da escala médica ontem a noite. Informa ainda que não há estacionamento para funcionários na Upa Norte. A edificação da unidade de saúde, iniciada na administração 2013-2016 e concluída no ano passado pela atual, já não previa estacionamento”.

Sobre o uso do estacionamento do supermercado, a prefeitura afirmou existir um acordo para a utilização do estacionamento dos veículos dos colaboradores, e prestadores de serviços.

Nenhuma postagem para exibir