Dengue explode e ultrapassa 3 mil casos em Ribeirão

Foram confirmados 1.231 casos em fevereiro na cidade; no ano, já são 3.065 casos confirmados; pasta conclama a população na conscientização e combate à dengue

Mosquito transmissor da dengue - Foto: Foto: PixaBay.
Continua depois da publicidade

Ribeirão Preto já registrou, em 2020, 3.065 mil casos de dengue. A informação é da secretaria da Saúde da cidade e representa um aumento de 176% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram pouco mais de 1,1 mil casos.

Só em fevereiro de 2020, foram confirmados 1.231 casos de dengue na cidade, contra 851 casos da doença no ano passado, o que representa um aumento de 44,65% de pessoas infectadas pelo mosquito Aedes aegypti.

O secretário da Saúde de Ribeirão Preto, Sandro Scarpelini, afirma que o trabalho de combate e prevenção à doença na cidade está sendo feito sem trégua, com arrastões de limpeza semanais e intensificação das ações diárias, com equipes de Agentes de Combate a Endemias nas ruas em campanhas de conscientização, treinamentos de equipes e nebulização.

“Oitenta por cento dos casos estão nas casas das pessoas e a conscientização da população é fundamental. Cada morador deve cuidar do seu quintal, eliminando focos de água parada para que o mosquito não se desenvolva. Portanto, além das nossas atividades, precisamos muito da participação da população limpando sua própria casa” alerta o chefe da pasta.

Preocupação

A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Luzia Marcia Romanholi Passos, ressalta que são encontrados e recolhidos muitos criadouros do mosquito nas regiões mais preocupantes da cidade durante o trabalho de campo, que prevê, além do recolhimento do material, orientação às pessoas.

“A conscientização e ajuda da população são fundamentais para o controle da doença. Portanto, solicitamos aos moradores da cidade que limpem suas casas, seus quintais semanalmente e não deixem acumular água parada, ambiente ideal para o mosquito crescer. Somente assim conseguiremos vencer essa batalha na cidade”, alerta da diretora.materiais potenciais que acumulam água e se transformam em criadouros do mosquito.

Nenhuma postagem para exibir