Coronavírus exige nova rotina para os moradores em Ribeirão Preto

Pessoas e empresas buscam alternativas para seguir a vida durante pandemia.

A cada dia, conforme os casos suspeitos são confirmados, novas medidas de prevenção e combate à propagação do coronavírus são tomadas pelos governos. Em Ribeirão Preto, foi instituído o Comitê Técnico de Contingenciamento Covid-19 e decretada situação de emergência por um período de 180 dias. 

Entre outras atividades, estão suspensos todos os eventos públicos e privados de qualquer natureza, e fechados cinemas, clubes, academias, casas noturnas, teatros e centros culturais.

 Tais medidas, que incentivam o recolhimento das pessoas às suas casas, têm mudado a vida de muita gente. 

Devido isso, diversas empresas da cidade tiveram que adaptar seus serviços para que seja feito tudo dentro de casa, como o recomendado.

O Studium Carla Petroni atendeu às determinações públicas e suspendeu temporariamente as aulas até o início do próximo mês.Enquanto isso, os alunos estão sendo estimulados a postarem vídeos e fotos dançando em suas casas.

“A nossa ideia é mante-los conectados com os estudos e a dança, estimulando a criatividade e levando alegria nesse momento em que tanto precisamos”, afirma a bailarina Carla Petroni, diretora da escola que leva seu nome.

Em apenas dois dias já foram dezenas de vídeos postados. Beatriz Martins foi uma das que atendeu o chamado da escola e levou sua dança às redes sociais com a #dancanaquarentena. “Postar os vídeos é um recurso que a gente tem para permanecermos conectados com a dança e com todos. Gostaríamos de estar juntos, mas já que não é possível esta é uma forma de nos unir”, conta a bailarina.

Com um público formado em sua maioria por pessoas acima dos 40 anos, a Academia 40+, localizada na região central, também mudou a rotina. 

“Além de orientações sobre higienização, estávamos aferindo a temperatura de todos os alunos ao entrar na academia, disponibilizando álcool gel 70%, mantendo as portas abertas para evitar o toque com as mãos e evitando cumprimentos pessoas”, explica o personal trainer Thiago Villela.

Com a determinação municipal para o fechamento de academias e escolas, a academia optou por enviar vídeos com exercícios e dicas. “É uma maneira dos alunos continuarem a se exercitar em casa”, afirma Villela.

A Copema Engenharia também adotou medidas preventivas para afastar o risco. A construtora reduziu a carga horária de trabalho e fechou um stand de vendas. “E todos aqueles que podem foram colocados em home office”, conta o diretor Augusto Collaço.

Existem, porém, aqueles serviços que não podem parar. Nesses casos, a rotina está sendo alterada para diminuir o risco e garantir a segurança de trabalhadores e usuários.

No 4º Tabelião de Notas de Ribeirão Preto foi mantido o horário de funcionamento, das 8 às 17 horas, mas com divisão dos funcionários em duas turmas. “Enquanto um grupo trabalha às segundas, quartas e sextas, o outro na terça e quinta. Na semana seguinte inverte-se a ordem”, explica o tabelião substituto Neilo de Almeida.

O objetivo do cartório, que tem 55 funcionários, é reduzir pela metade a possibilidade de propagação do novo coronavírus. “A divisão em turmas foi feita com responsabilidade e com o pedido para que não se encontrem fora do ambiente de trabalho”, explica Almeida.

Além disso, o 4º Tabelião está ampliando o atendimento prioritário aos idosos, principal grupo de risco da COVID-19. “Podemos desde colher a assinatura no veículo da pessoa, em nosso estacionamento, até ir à sua própria residência. Estamos analisando caso a caso”, completou.