Conselho Municipal da Saúde defende lockdown imediato e cobra ação de Nogueira para cumprir isolamento

Prefeitura confirma recebimento do documento e diz que irá avaliar implementação

Duarte Nogueira, prefeito de Ribeirão, em entrevista coletiva - Foto: Jairnei Capareli

O Conselho Municipal da Saúde de Ribeirão Preto recomendou à prefeitura que seja decretado, de forma imediata, o lockdown na cidade. Outra recomendação é que a prefeitura fiscalize e crie mecanismos para garantir que o isolamento social fique em patamares superiores a 60%.

“Considerando que o aqui aludido alberga questão de cunho emergencial, o Conselho Municipal de Saúde recomenda ao Prefeito Duarte Nogueira e ao Secretário de Saúde Dr. Sandro Scarpelini (…) Que sejam adotadas medidas de distanciamento social mais rigoroso, ou seja, o lockdown na cidade de Ribeirão Preto- SP, tendo em vista a ocorrência acelerada de novos casos e óbitos por COVID-19 e taxa de ocupação dos serviços atingindo níveis críticos”, afirma o Conselho, em nota assinada pelo seu presidente, Nilton Nessi.

A instituição pede ainda “que sejam implementadas medidas que garantam pelo menos 60% da população em distanciamento social, ou superiores a este, como medida sanitária excepcional necessária”.

Explicação

O Conselho é um órgão deliberativo na formulação e execução da política municipal de saúde. Inclusive nos aspectos econômicos e financeiros, nas estratégias e na promoção e controle social. Tem poder deliberativo, mas não Executivo.

No documento, de três páginas, são listadas uma série de razões para defender as medidas, Entre elas, o conselho afirmou que “as orientações e regras que abarcam a o plano em sua fase vermelha não estão sendo respeitadas pela população (…) podendo acarretar o colapso fatal dos serviços de saúde e, consequentemente, riscos à saúde e à vida dos indivíduos, sobretudo, àqueles em condição de vulnerabilidade social”, disse.

Procurada, a prefeitura de Ribeirão Preto informou que recebeu a recomendação e  encaminhará ao Comitê Técnico de Enfrentamento ao Covid-19 para avaliação.