Chocolate: conhecido como o vilão das dietas, quando consumido em pequenas quantidades, ele traz benefícios para a saúde

No dia 07 de julho, dia mundial do chocolate, nutricionista comenta os benefícios do alimento, afirma que pode comer todos os dias, mas diz que é preciso moderação

Uma pesquisa feita pela Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab) revelou que em 2019, o Brasil consumiu cerca de 749 mil toneladas de chocolate.

O produto é tão consumido no Brasil e no mundo que ganhou até uma data: 07 de julho é o dia mundial do chocolate.

Produto muito querido por pessoas de todas as idades, ele é um produto versátil na culinária e apesar de ser visto como vilão de quem pratica dietas ele pode sim ser consumido todos os dias. Pelo menos é o que garante a nutricionista e professora Ana Carolina Port. Mas ela alerta que o segredo para esta liberação está na quantidade. “Só pensar no excesso de calorias que isto pode trazer. Aí vai muito da quantidade. É isto que a gente precisa trabalhar”, explica a nutricionista.

Mas como o importante não é apenas a quantidade de calorias ingeridas, mas também a qualidade nutricional, é importante saber escolher o tipo certo de chocolate. “Chocolate com teor maior de cacau, mais amargo, tem menos açúcar e mais propriedades benéficas do cacau”, recomenda Ana Carolina.

Já o tão polêmico chocolate branco, merece um pouco mais de atenção, mas não precisa ser abolido da dieta. “Chocolate branco não tem cacau, é só manteiga e açúcar. Em termos energéticos, se comparado ao chocolate ao leite, talvez seja quase equivalente”, explica. Sobre não ser nutritivo, ela faz uma ressalva. “A gente tem que lembrar que às vezes, ele serve para nutrir seu coração e tá tudo bem. Mas os que tem mais cacau, tem mais propriedade de compostos bioativos, anti-oxidantes”, informa a nutricionista.

Os brasileiros comem, em média, 2,5 quilos de chocolate por ano, o que faz com que o país seja o 3º mercado consumidor no mundo deste produto.

Com certeza, tamanho volume se justifica pelos inúmeros “chocólatras” espalhados pelo país.

A atriz Vivi Reis é uma destas apaixonadas por chocolate. Ela confessa que quando criança não gostava muito mas que depois dos 30 anos, ficou viciada e que recorre ao alimento principalmente durante o período de tensão pré-menstrual. “Comer chocolate é uma delícia, mas na TPM, não tem nada igual, é um prazer imensurável”, diz a atriz.

Ela ainda compartilha dicas rápidas para aqueles dias em que tem vontade de comer chocolate mas não tem o produto em casa. A primeira, é abrir o pão, passar manteiga e jogar achocolatado. A outra é colocar em um pote, um pouco de leite condensado, misturar achocolatado e levar por 7 segundos ao microondas. “Eu ensinei minha sobrinha e minha cunhada quer me matar”, brinca Vivi.

Além deste valor nutricional e das calorias, quando se fala em chocolate é preciso também pensar no lado emocional. “O chocolate tem um valor emocional muito forte e também a questão da mídia. Muito do que a gente consome está ligado às propagandas. A gente tem muitas de chocolate na tv. Mas tem também a influência cultural. Por exemplo, aniversário é sinônimo de brigadeiro”, comenta a nutricionista Ana Carolina.

Com o grande número de pessoas apaixonadas por chocolate, tem muita gente que já percebeu que o produto é uma ótima fonte de renda. É o caso da estudante Barbara Caparelli que se juntou à irmã e está fazendo chocolates.

“Desde pequena sempre fui apaixonada por cozinhar e por chocolate. Nesta quarentena eu e minha irmã resolvemos juntar o útil ao agradável e criar uma lojinha. Começamos a vender o copo da felicidade, uma mistura com muitas coisas gostosas e chocolate branco e preto. Depois começamos a vender as trufas com casquinha de chocolate branco e preto e 5 recheios diferentes”, relata a estudante. A iniciativa deu certo e o faturamento já está garantido. “Com isto além de ganhar experiência para meu futuro, percebei que o chocolate é uma ótima fonte de renda por atingir todos os públicos e por todo mundo amar muito esta delícia que é o chocolate”, conta a estudante.

Nenhuma postagem para exibir