Casos de dengue aumentam em Ribeirão e primeira quinzena de maio já tem 324 registros

Em abril, duas pessoas morreram em decorrência de casos graves da doença

Foto: Agência Brasil.

Na primeira quinzena de maio deste ano, ao menos 324 casos de dengue foram confirmados em Ribeirão Preto, segundo divulgado nesta quinta-feira (16) pela Secretaria Municipal da Saúde. O resultado ultrapassa o contabilizado nos 30 dias do mesmo mês de 2018, quando apenas 35 pessoas foram diagnosticadas. 

Ainda de acordo com o Boletim Epidemiológico publicado, os números também são maiores quando a comparação é feita entre os primeiros cinco meses de cada ano. Em 2018, foram 187 registros nesse período e agora já são 3523. Um aumento de 1249%. 

Para o secretário da saúde da cidade, Sandro Scarpelini, o trabalho de combate e prevenção ao mosquito é feito sem trégua. Segundo ele, são ações diárias, com equipes de Agentes de Combate a Endemias nas ruas em campanhas de conscientização, treinamentos de equipes e nebulização frequente e os números estão dentro dos parâmetros aceitáveis, se comparado às demais cidades do Estado. 

“Mesmo diante de todo o esforço que estamos fazendo, os índices de infestação do mosquito continuam muito altos, mantendo em risco de epidemia a cidade”, reconhece. 

Em 25 de abril, a pasta confirmou duas mortes em decorrência de casos graves de dengue na cidade. As vítimas eram um idoso de 73 anos e uma mulher de 44.

H1N1, Chikungunya, zika vírus, microcefalia e febre amarela

Até o momento, não foi confirmado nenhum registro da Síndrome Respiratória Aguda Grave (gripe causada pelo vírus Influenza H1N1). Casos de Chikungunya, zika vírus, microcefalia e febre amarela também não foram confirmados.