Atleta paraolímpica de Ribeirão bate recorde mundial

Prova aconteceu no último fim de semana, em São Paulo

Foto: Divulgação.

A atleta paraolímpica ribeirão-pretana, Giovana Gabriele, bateu o recorde mundial nos 100 metros da RR1 Race Running, modalidade de corrida. A jovem completou a prova, no último fim de semana, em 25 segundos e 10 centésimos, superando a marca da sueca Pauline Lundberg, então recordista.

O evento internacional ‘Open Brasil Loterias Caixa’ aconteceu nos dias 27 e 28 de abril, em São Paulo, e também terminou com a vitória de Giovana em primeiro lugar.

“Na hora da competição, senti muita emoção. Por estar entre atletas importantes, já que nunca imaginei que um dia estaria entre eles. Na hora que bati o recorde mundial, não estava acreditando no que tinha acontecido. Foi assim que eu percebi que era uma pessoa tão forte”, contou emocionada a atleta, que faz parte da equipe de Atletismo Paralímpico da Secretaria de Esportes de Ribeirão Preto e é treinada pela professora Juliana Maciel de Oliveira.

O secretário de Esportes de Ribeirão Preto, Ricardo Aguiar, destacou a vitória e superação da atleta. “Giovana Gabriele é um exemplo para todos. E agora, a melhor do mundo em sua categoria paralímpica, orgulho da nossa cidade e do Brasil. Tenho certeza que irá conseguir obter o índice e sua convocação para disputar o campeonato mundial de jovens pela Seleção Brasileira, onde continuará representando Ribeirão Preto com muita dedicação e força de vontade para seguir vencendo”, disse Ricardo Aguiar.

A prova, realizada anualmente pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, conta com a presença de atletas dos cinco continentes e faz parte do calendário do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês).
Agora, Giovana precisa aguardar as formalidades de convocação para compor a Seleção Brasileira que vai disputar o Campeonato Mundial de Jovens, na Suíça, em julho deste ano, se firmando cada vez mais no cenário esportivo internacional.

O esporte

O Race Running é praticado no Brasil desde 2009. A modalidade é uma opção para atletas com paralisia cerebral, que correm em seus próprios pés apoiados em um suporte.

Os atletas são classificados entre RR1, RR2 e RR3, sendo a três a de menor gravidade. A ‘corrida’ é um pouco diferente da que conhecemos. O equipamento parece uma bicicleta com suporte para o tronco, guidão, assento e são três rodas. Mas não há pedal, é preciso usar o

Nenhuma postagem para exibir