Vereadores ouvem hoje secretário de assistência social sobre distribuição de cestas básicas durante a pandemia

O pedido de convocação é de autoria do vereador Jean Corauci (PSB)

Cestas básicas - foto: Divulgação Prefeitura de Ribeirão Preto

A Câmara Municipal de Ribeirão Preto ouve, nesta terça-feira (16), o secretário de assistência social Guido Desinde Filho. Marcada para às 16 horas, a sessão extraordinária tem como pauta a arrecadação e a distribuição de cestas básicas para a população necessitada durante o período de pandemia do coronavírus na cidade.

“A gente não sabe quantas cestas básicas foram compradas por parte da Prefeitura, a gente não sabe como a população pode pedir esta cesta básica, a gente também não sabe quem tem o direito. O que a gente sabe é que a Prefeitura não comprou um saco de arroz, vem fazendo uma distribuição de cestas básicas que recebeu do Governo ou de doações da população”, afirmou o vereador Jean Corauci (PSB), autor do pedido de convocação.

Ainda segundo o vereador, a Câmara Municipal destinou R$ 3 milhões para a Prefeitura auxiliar dentro do combate ao coronavírus, mas nenhum centavo deste dinheiro foi usado. Além da Câmara, o Governo Federal também distribuiu, até o momento, R$ 10 milhões, que só foi utilizado para o aluguel das ambulâncias investigadas na CPI e mais R$ 9 milhões do Governo de São Paulo. 

“Foram R$ 22 milhões, que é para ajudar no combate do Covid-19, do coronavírus, mas a gente não vê nada. Prefeito falando para as pessoas ficarem em casa, mas não ajuda, não dá uma contribuição por parte da Prefeitura”, disse Corauci ao programa Thathi Repórter desta terça-feira (16).

O vereador deixou claro que as cestas básicas, motivo da convocação para a sessão extraordinária, não tem relação com o “kit vergonha” que vem sendo distribuído pela Secretaria da Educação para a população de Ribeirão Preto.

“A gente precisa de esclarecimentos por parte do secretário, a gente precisa que ele diga – Olha, quem tiver precisando de uma cesta básica vá até determinado local, você vai fazer um cadastro, uma pré avaliação, e nós vamos poder destinar esta cesta básica para quem realmente precisa – mas o que acontece hoje a gente não sabe”, concluiu o vereador.  

A sessão será a primeira realizada por videoconferência após a volta do município para a fase 1 do plano de retomada do Estado de São Paulo. 

Prefeitura

Em nota, a Prefeitura de Ribeirão Preto informou que tem disponibilizado, desde o inicio da pandemia, a entrega de cestas básicas às pessoas em situação de vulnerabilidade social que tiverem se cadastrado em um dos sete Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) da cidade.

A nota ainda diz que na primeira semana de junho, 9.712 unidades foram entregues através do programa Alimento Solidário, do Governo Estadual. Estão sendo beneficiadas as famílias em situação de extrema pobreza, cadastradas no CadÚnico (cadastro federal oficial para inclusão em programas de assistência social e transferências de renda), ou seja, com renda de até R$ 89,00 per capita mensal.

Segundo a Prefeitura, a Secretaria de Assistência Social estuda a aquisição, via processo licitatório, a compra de 10 mil unidades de cestas básicas, que serão entregues à população, mas não especificou uma data para a possível entrega dos mantimentos.

Nenhuma postagem para exibir