Vereadores de Ribeirão vão discutir fechamento da UBDS Central com Scarpelini na sexta

Uma das dúvidas a serem levantadas pelos parlamentares é sobre o deslocamento pacientes que fazem o uso da Unidade de Saúde após o fechamento

Os 22 vereadores de Ribeirão Preto terão uma reunião com o secretário da Saúde da cidade, Sandro Scarpelini, na próxima sexta-feira (13), na Câmara Municipal. O tema discutido será o fechamento da Unidade Básica Distrital de Saúde (UBDS) Central, anunciado pela Prefeitura no último dia 4.

Segundo o presidente do Legislativo local, Alessandro Maraca (MDB), durante a sessão da Casa, o pedido foi feito em caráter de urgência, porque Scarpelini entra em período de férias na próxima segunda-feira.

“Vamos poder questioná-lo sobre algo que tem afligido muitas pessoas que é o fechamento do PS Central. Lembrando que nós temos em pauta a abertura de uma unidade de saúde mental, que é muito importante, mas vamos ouvir se existe a possibilidade um pronto atendimento na região central”, afirmou Maraca.

Uma das dúvidas a serem levantadas pelos parlamentares é sobre o deslocamento pacientes que fazem o uso da Unidade de Saúde após o fechamento. Mas não é só, também serão questionados os dados levantados pela administração municipal que motivaram a mudança. Isso porque entre os anos de 2017 e 2018, Duarte Nogueira (PSDB) tentou instalar o Ambulatório Médico de Especialidade (AME) no lugar da UBDS Central.

Atualmente, o estabelecimento é usado como um dos Polos Covid e recebe pessoas com sintomas da doença. Com a mudança, o local, durante 24h, será destinado a atender pessoas com problemas psicológicos na cidade, a partir do próximo ano.

O que se tornará?

O local se tornará um Centro de Saúde Mental com atendimento 24h. A criação foi aprovada, por unanimidade, pelo Conselho Municipal de Saúde. Participaram também da aprovação comissão intergestores da Direção Regional de Saúde e será encaminhada à Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e Ministério Público.

No período diurno, a estrutura do serviço contará com equipes especializadas em saúde mental como psicólogos, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais, além de médicos e enfermeiros.

À noite, equipes médicas psiquiátricas e de enfermagem 24 horas prestarão atendimento de urgência para todas as faixas etárias de pessoas com problemas psiquiátricos e decorrentes do uso de álcool e drogas.

O novo centro comportará 12 leitos para observação de urgência de curta permanência (até cinco dias – sendo dois leitos de isolamento infantil) e oito leitos de acolhimento noturno para permanência por até 20 dias.

Nenhuma postagem para exibir