Vereador Sérgio Zerbinato pede desligamento do Conselho de Ética

O pedido foi feito na sessão desta quinta-feira (2)

O vereador Sérgio Zerbinato (PSB), acusado de promover rachadinhas em seu gabinete, pediu desligamento do Conselho de Ética. Segundo informações do Departamento Jurídico da Câmara, o pedido foi protocolado e apresentado durante a sessão da Câmara nesta quinta-feira (2) e já foi acatado.

Zerbinato fazia parte do conselho e poderia continuar no cargo, se fosse do interesse do vereador, ele apenas não seria consultado nos assuntos relacionados ao caso em que é investigado. O vereador já foi citado na investigação e deve apresentar uma defesa.

Cabe agora aos integrantes da Câmara a indicação de um novo membro para assumir o cargo que até então era ocupado pelo vereador no Conselho. A equipe de reportagem do Grupo Thathi de Comunicação tentou entrar em contato com o vereador, mas não obteve resposta até o momento da publicação da matéria.

O caso

Conforme revelou matéria exclusiva publicada pelo Portal do Grupo Thathi, Zerbinato foi acusado, por uma ex-assessora, de comandar um esquema de rachadinha que beneficiaria sua irmã, Dalila Zerbinato. A assessora afirma que repassou, de janeiro a agosto de 2021, cerca de R$ 3 mil mensais para a irmã do vereador.

A matéria causou a abertura de um inquérito civil público, por parte do Ministério Público, que irá investigar o caso. Depois que a denúncia veio a público, outra ex-assessora da Câmara, Renata Benedicto, também afirmou que foi procurada pelo parlamentar e que não aceitou a rachadinha proposta por ele, o que gerou a não concretização da contratação.

Cassação

Além do inquérito aberto através da MP, o vereador está sendo investigado em outros dois processos, um pedido pela Mesa Diretora e o outro solicitado por Rodrigo Leone. A solicitação da Mesa Diretora é para a investigação do caso, já o pedido encaminhada à Casa por Leone pede a cassação.

“E, tão grave quanto, deixem de dar uma resposta a sociedade que, hoje, espera que a austeridade seja uma prática constante, assim como o respeito ao decoro, prevalecendo assim a defesa do interesse público diante de denúncias como a que a sociedade teve conhecimento na manhã de hoje”, afirmou Leone, no documento.

Com a decisão, o processo segue para análise do Conselho, que irá analisar a denúncia e determinar se o caso será julgado ou não pelos parlamentares. Ao fim do processo, o vereador pode ser cassado.

Nenhuma postagem para exibir