STF mantém anulação das condenações e libera Lula para eleições de 2022

Por oito votos a três, ex-presidente se mantém livre as acusações da Operação Lava Jato e se torna elegível para cargos públicos

Luiz Inácio Lula da Silva - Foto: Agência Brasil

Nesta quinta-feira (15), o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou, por oito votos a três, um recurso da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra a anulação das condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, realizadas pela Operação Lava Jato.

A anulação das acusações aconteceu em março, realizada pelo ministro Edson Fachin, do STF, que entendeu que a 13ª Vara Federal em Curitiba não tinha competência legal para julgar as acusações. Com a decisão, o ex-presidente não terá mais restrições na Justiça Eleitoral e está elegível para disputar um cargo público. 

Ainda será realizada mais uma sessão, no dia 22, para analisar a extinção de outros processos relacionados ao caso, entre eles um em que o ex-juiz Sergio Moro foi considerado parcial. 

Eleições 2022

Após a rejeição do recurso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou em entrevista ao canal de TV argentino  C5N que vai se candidatar nas eleições presidenciais de 2022, se for necessário. Mas disse que não necessariamente será o candidato escolhido para representar o partido dos trabalhadores. 

“Se for necessário, serei candidato, para ganhar as eleições de um fascista que se chama Bolsonaro, um genocida, por ser o maior responsável pelo caos na pandemia”, afirmou, “tenho boa saúde, mas não tem, obrigatoriamente, que ser eu. Podemos escolher alguém que possa representar os setores progressistas do Brasil”.

Nenhuma postagem para exibir