Região de Franca estuda implementar lockdown coletivo

Medida está em análise por conta do crescimento de casos de Covid-19 e permanência na fase 1 do Plano SP

Área central de Franca - Foto: f3 Notícias

O Comitê Regional de Enfrentamento ao Coronavírus para a Região da Alta Mogiana está estudando a possibilidade de implantar lockdown em 17 cidades que estão reunindo-se em torno do comitê. Essas medidas mais rígidas sobre circulação de pessoas e funcionamento de comércios seriam implantadas principalmente aos finais de semana.

O que vem pesando para que tais medidas venham a ser implantadas é o fato de crescimento de casos de Covid-19. Franca, que é o maior município nesse grupo e que articulou o trabalho conjunto entre as cidades da região da Alta Mogiana, tem registrado aumento de casos positivos de forma mais intensa desde junho. A quantidade de mortes também tem aumentado e há seis dias o município vem registrando óbitos causados por complicações do novo coronavírus.

Enquanto os diagnósticos positivos continuarem crescendo, as cidades pertencentes ao Departamento Regional de Saúde VIII (que engloba 22 cidades, incluindo Franca) correm o risco de se manterem na fase 1 do Plano São Paulo. O referido plano é o projeto do governo do Estado para definir o grau de flexibilização na abertura de setores econômico e de entretenimento, além de templos e santuários religiosos em regiões de saúde. A fase 1, ou vermelha, é a mais restritiva e impede que shoppings e lojas funcionem de portas abertas e recebendo clientes em seu interior.

Outro fator preponderante para que a DRS VIII fique na fase 1 é a quantidade de leitos de UTI Covid. Contudo, nesse critério, Franca, por exemplo, conseguiu acertar a ampliação de 10 novos leitos na Santa Casa de Franca e essa estrutura deve ser incluída no sistema de saúde nos próximos dias. Igarapava é outra cidade que já trabalha para iniciar o funcionamento.

Análise

O secretário municipal de saúde de Franca, José Conrado Netto, reconheceu que a possibilidade de maior restrição é cogitada para tentar frear o avanço da doença. “Está sendo estudado uma paralisação mais enérgica aos finais de semana pelo Comitê Regional de Enfrentamento ao Coronavírus para a Região da Alta Mogiana. Nós aqui em Franca, por determinação do prefeito Gilson de Souza, já intensificamos a fiscalização para cumprir o Decreto Municipal”, explicou.

Essas restrições maiores estariam relacionadas ao fim da venda de bebida alcoólica entre a sexta-feira e a segunda-feira. Aos finais de semana, só farmácias e a venda de combustíveis seriam permitidas. Supermercados teriam funcionamento reduzido, bem como lojas, restaurantes e bares, que atuam com atendimento por Whatsapp e drive thru. Porém, os detalhes desse planejamento de lockdown ainda não foram divulgados.

A Câmara de Vereadores de Franca abordou a discussão sobre lockdown na cidade nesta terça-feira (28) e o líder do governo na Casa de Leis, Tony Hill, levou o tema para ser abordado com o prefeito Gilson de Souza.

Na região, o município de Guaíra decretou restrições rígidas no mês passado em ao menos dois finais de semana seguidos. A cidade fica a cerca de 100 km de Franca. Fiscalização sobre aglomeração de pessoas também foi ampliada com atuação da Vigilância Sanitária, Polícia Militar e Guarda Municipal. Além disso, todas as entradas da cidade tiveram barreiras sanitárias implantadas. Para garantir legalidade e apoio, a prefeitura daquela localidade fez consulta ao Ministério Público Estadual.

Fonte: f3 Franca

Nenhuma postagem para exibir