Pré-candidato diz que vereadora tem “suvaco peludo” e acaba denunciado por Duda Hidalgo

Vereadora, que é pré-candidata a deputada, pede investigação contra pré-candidato do PSC por crime eleitoral

Foto: Arquivo Pessoal / Redes Sociais

A vereadora em Ribeirão Preto Duda Hidalgo (PT), que concorre a uma vaga na Assembleia Legislativa de São Paulo, denunciou o também pré-candidato Diego Wolg (PSC) por violência política de gênero por conta de manifestações com base em postagens do concorrente nas redes socais. A Justiça Eleitoral irá analisar o caso.

Segundo a notícia-crime proposta pela vereadora, o fato ocorreu na última segunda-feira (25) quando, depois de uma postagem feita pela parlamentar, na qual ela criticava o deputado federal Daniel Silveira (PL), que concorre a uma vaga no Senado pelo Rio de Janeiro, a quem classificou como “perigo para as mulheres”, foi rebatida por Wolg.

Silveira chegou a ser preso após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) por ofensas direcionadas a ministros da Corte. Depois de condenado, teve um perdão decretado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

Numa das mensagens, ele escreveu: “Perigo para as mulheres??? Pelo que sei a mulherada pira no Daniel… é que vcs tem suvaco peludo e cabelo de mendigo. Aí ele não gosta mesmo” (sic).
O suposto crime
De acordo com a acusação, tal conduta se enquadra no artigo 326-B da legislação eleitoral, que tipifica o crime de violência política de gênero. Se condenado, Diego está sujeito à pena de até quatro anos de reclusão, além de estar sujeito a punições eleitorais que variam de multa até a cassação do registro de candidatura.

“Sem exageros, o Noticiado Diego Wolg passou a constrangê-la, assediá-la e humilhá-la única e exclusivamente em razão da sua condição de mulher nas atividades desenvolvidas para as eleições do ano de2022, de modo a tentar frear os seus anseios políticos. O conteúdo é alarmante e menospreza, por completo, a sua candidatura feminina”, declarou a petista, na denúncia que promoveu.
Processo

Procurado, Diego negou que tenha ofendido a parlamentar com base em qualquer discriminação de gênero. “Temos diferenças ideológicas e ela fez uma ofensa ao candidato do PL ao Senado pelo Rio de Janeiro. Apenas respondi ao comentário da parlamentar”, informou.

Diego ressaltou ainda que irá de defender nas esferas cabíveis. “É uma forma de ameaçar quem reage contra os absurdos desse povo”, comentou.

Duda Hidalgo enviou uma nota ao Portal da Thathi:

‘São revoltantes as agressões que mulheres sofrem quando disputam espaços de poder. Esses comentários não são críticas a minha atuação parlamentar, mas sim ataques violentos contra a pessoa que sou: uma mulher na política. Quero deixar claro para a população de Ribeirão Preto, em especial às mulheres, que não vou me intimidar e irei lutar para garantir nosso espaço e nossa voz!

Fui assediada, atacada e humilhada por um candidato bolsonarista que claramente visa, com esses ataques, manchar minha imagem e enfraquecer minha candidatura nestas eleições. Fizemos a denúncia à Justiça Eleitoral e iremos tomar todas as medidas legais cabíveis para evitar que qualquer pessoa busque se promover com ataques violentos contra mulheres. Enquanto uma de nós não puder trabalhar e participar das eleições sem sofrer ofensas ou temer pela sua integridade, a democracia não será plena!’

Nenhuma postagem para exibir