Nelson Teich abandona Ministério da Saúde antes de completar 1 mês no cargo

Esta é a segunda saída de um ministro da saúde durante a pandemia do Coronavírus

O ministro da Saúde, Nelson Teich, durante solenidade de posse no Palácio do Planalto - foto: Agência Brasil

O ministro da saúde Nelson Teich pediu demissão do cargo nesta sexta-feira (15). Teich assumiu o cargo no lugar de Luiz Henrique Mandetta no dia 17 de abril, e sai antes de completar um mês de atividade.

Teich, assim como Mandetta, discordou de Bolsonaro sobre as medidas para o combate do coronavírus. A última delas foi o decreto de Bolsonaro para ampliar as atividades essenciais, incluindo salões de beleza, barbearia e academia.

Outro desentendimento aconteceu devido o uso da Cloroquina como medicamento para a Covid-19. O presidente, apesar de não possuir comprovação científica, acredita no potencial da cloroquina para o tratamento da doença, o que o ex ministro se posicionou contra.

“Um alerta importante: a cloroquina é um medicamento com efeitos colaterais. Então, qualquer prescrição deve ser feita com base em avaliação médica. O paciente deve entender os riscos e assinar o ‘Termo de Consentimento’ antes de iniciar o uso da cloroquina.”, disse Teich no Twitter.

Como resposta, Bolsonaro disse: “Todos os ministros são indicações políticas minhas e quando eu converso com os ministros eu quero eficácia na ponta. Nesse caso, não é gostar ou não do ministro Teich, é o que está acontecendo”, afirmou.

A cloroquina também causou a demissão de Mandetta, que foi substituído por Teich.  O general Eduardo Pazuello é um possível nome para assumir o cargo.

Nenhuma postagem para exibir