MP abre inquérito para investigar rachadinha de Zerbinato

Matéria do Portal do Grupo Thathi motivou investigação; ex-assessora que denunciou esquema será ouvida

O Ministério Público de Ribeirão Preto abriu, nesta terça-feira (30), um inquérito que investiga o suposto crime de rachadinha praticado pelo vereador Sérgio Zerbinato (PSB). Ele está sob suspeita de ter praticado o crime de peculato, além de improbidade administrativa. A denúncia que originou a denúncia foi feita com exclusividade pelo Portal do Grupo Thathi de Comunicação.

“Considerando a notícia divulgada no Portal de Notícias Thathi nesta data dando conta de que o vereador Sérgio Zerbinato, com assento na Câmara Municipal de Ribeirão Preto estaria utilizando de recurso públicos, pagos a uma servidora comissionada, para transferí-los a uma irmã; Considerando que tal prática, conhecida como “rachadinha” tipifica o crime de peculato, além de ato de improbidade administrativa previsto no artigo 10, incisos I e II da Lei nº 8429/92; Considerando a necessidade de cabal apuração dos fatos; DETERMINO a instauração do presente Inquérito Civil”, afirmou o promotor Sebastião Sérgio da Silveira, do MP.

O promotor determinou ainda que a matéria do Portal Thathi seja anexada ao inquérito e também fosse enviada à Promotoria Criminal, para a eventual instauração de procedimento criminal conta o vereador e também ao Tribuna de Contas do Estado, para investigação administrativa. Se condenado, o vereador está sujeito a penas de até 12 anos de prisão, além de multa e perda dos direitos políticos.
Oitivas

O MP deve ouvir, ainda hoje, a ex-assessora Ivanilde Ribeiro Rodrigues, autora da denúncia, e também Renata Benedecto, ex-assessora do vereador Luciano Mega (PDT) que afirmou, nas redes sociais, ter recebido proposta de rachadinha para trabalhar com Zerbinato.
Procurado, Zerbinato não se manifestou sobre o assunto desde que foi procurado pela primeira vez, na segunda-feira (30). Se o fizer, o texto será modificado.

O caso

Zerbinato foi acusado pela ex-assessora Ivanilde de coordenar um esquema de rachadinha para beneficiar a irmã dele, que exercia extraoficialmente o comando do gabinete do vereador na Câmara. A reportagem da Thathi teve acesso a mais de duas horas de gravação de conversas do parlamentar com a ex-assessora nas quais ele discute abertamente a forma de devolução do dinheiro.

Os recursos eram devolvidos tanto em dinheiro vivo quanto na forma de pagamento de boletos e contas gerais. Em pelo menos duas ocasiões, houve depósitos feitos diretamente da conta de Ivanilde para a conta da irmã de Zerbinato. Ele tenta definir, ainda, um prazo para que o repasse dos recursos fosse feito para a irmã, dando dois duas, depois do pagamento, para que os recursos fossem repassados.

Na gravação, o vereador chega a informar que Ivanilde não seria prejudicada, já que “ninguém tem como provar” o esquema arquitetado por ele. Ele chega, ainda, a demitir a assessora, oferecendo a ela R$ 1 mil, teoricamente de sua própria remuneração, para “manter a amizade” com ela.

Pedido de cassação

O jornalista Rodrigo Leone da Silva, solicitou, na tarde dessa terça-feira (30), a cassação do mandato do Vereador Sérgio Zerbinato (PSB). Junto ao pedido, Rodrigo solícita o afastamento do vereador de todas as suas funções. Pede também para que a “Casa do Povo” cumpra sua função fiscal e instaure com urgência um processo disciplinar a fim de investigar e, caso comprovados os atos de peculato por parte de Zerbinato, que seja cassado seu mandato.

Ao fim de seu pedido, Rodrigo pede por dias melhores, por representantes íntegros, éticos e responsáveis
pela defesa do interesse público.