Membros do PSL de Ribeirão se desfiliam do partido e abandonam diretoria

"Falta de contato" teria motivado a decisão coletiva

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

Os dez integrantes do Diretório do PSL (Partido Social Liberal) em Ribeirão Preto se desfiliaram do partido do presidente Jair Bolsonaro e abriram mão dos cargos que cumpriam na cidade. A informação foi divulgada e confirmada no começo da noite desta terça-feira (26) pelo agora ex-advogado do grupo, Paulo Junqueira. Segundo ele, a decisão coletiva teve como motivação “quebra de confiança” e “falta de contato” com o Diretório Estadual.

“Teríamos uma reunião daqui a algumas semanas para mostrar o que vinha sendo feito no município e simplesmente disseram [membros do Diretório Estadual] que não compareceriam. Se não temos a chance de conversar, não temos como continuar trabalhando”, afirma.

Além de Paulo, estão fora do PSL Manoel Anibal Versiani, Jorge Francisco Rodrigues, Camilo Candarelli, Fernando Barbosa Toledo Ramos, Carlos Bruno Mancera, Eduardo de Castro Fernandes, Renato Cabral Catita, Wilson Wadhy Miguel Rebehy Junior e Regina Inácio dos Santos. Respectivamente, eles atuavam em Ribeirão como presidente, vice-presidente, secretário geral, primeiro secretário, tesoureiro geral, primeiro tesoureiro e membros do diretório.

Ainda de acordo com Junqueira, a saída não tem relação com o governo Bolsonaro ou com as suspeitas de uso de candidatos laranja nas eleições do ano passado. “Concordamos com todas as atitudes do presidente. O problema foi a falta de comunicação e confiança com os membros de São Paulo”.

Procurado pela Reportagem, o Diretório Estadual do PSL ainda não se pronunciou.