Ribeirão realiza ato contra o racismo e contra Bolsonaro

Ato ocorreu na esplanada do Teatro Pedro II, no último sábado (6)

Teatro Pedro II durante a manifestação neste sábado (6) - foto: Divulgação

Uma manifestação pacífica foi realizada na esplanada do Teatro Pedro II no último sábado (6). Cerca de 250 pessoas protestaram contra o racismo e contra o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

Segundo informações dos organizadores, os manifestantes estavam de máscara e mantiveram o distanciamento de dois metros durante o evento.

Torcedores denominados  antifascistas do Botafogo e do Comercial participaram da ação, mas, em nota publicada nas redes sociais, as torcidas organizadas de ambos os clubes negaram envolvimento com o ato. Além dos torcedores, partidos políticos de esquerda e populares também participaram do protesto.

“Dentre as pessoas que participavam do ato, haviam indivíduos utilizando a camisa do times de Ribeirão Preto, Botafogo F.C. e Comercial F.C. denominados ANTIFAS, no qual não possuem qualquer ligação com nossa instituição Viemos por meio desta nota, esclarecer que nós NÃO estivemos presente nessa manifestação e deixar claro que não compactuamos com nenhum tipo de ato político, seja ele de direita ou esquerda”, afirmou a torcida Fiel Força Tricolor.

Durante a manifestação, os responsáveis pela organização foram informados sobre uma liminar concedida pela Justiça que impedia a continuação do ato. A justificativa, segundo o promotor, seria para proteger vidas, devido a pandemia do coronavírus. Medida que não acontece com as aglomerações geradas pela reabertura do comércio na cidade. 

A manifestação de Ribeirão Preto soma aos atos que aconteceram no dia 5 de junho em Recife, São Gonçalo e São José dos Campos, bem como as que ocorreram neste domingo (7).  

Brasil

Em Brasília, as manifestações foram realizadas hoje (7) na Esplanada dos Ministérios, que se dividiu em duas nesta manhã. A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) se posicionou no gramado central e manteve manifestantes contra o governo do lado esquerdo, onde fica o Ministério da Justiça, e grupos a favor do presidente Jair Bolsonaro no lado direito, onde fica o Itamaraty.

O ato contrário ao governo do presidente Jair Bolsonaro reuniu mais pessoas. Ao longo da última semana, em diferentes ocasiões, o presidente pediu a seus apoiadores que não saíssem às ruas hoje para evitar confrontos com grupos contrários.

Na Esplanada dos Ministério, pouco depois das 9h, um grande grupo caminhou até o Ministério da Justiça, onde havia uma barreira policial impedindo o avanço além daquele ponto. A manifestação unificou pautas como o combate ao racismo, ao fascismo e contrários ao governo federal. Os manifestantes usavam máscaras, item de uso obrigatório no Distrito Federal, em virtude da epidemia de covid-19.

Esse grupo ficou na Esplanada por pouco tempo. Às 11h, ele já caminhava de volta, se afastando do Congresso Nacional em direção à Biblioteca Nacional, onde começou a dispersão. O protesto foi pacífico.

Do lado favorável ao governo, o público saiu às ruas vestido de verde e amarelo. Os manifestantes tiveram acesso à Praça dos Três Poderes, local que tem concentrado apoiadores do presidente aos domingos.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, General Augusto Heleno, esteve presente na Esplanada, acompanhando a movimentação e cumprimentando policiais que faziam a segurança da área.

A Polícia Militar informou que não houve registro de ocorrência durante a manifestação e ninguém foi detido. Além disso, a PMDF informou que não faz estimativa de público.

*Contém informações de Agência Brasil

Nenhuma postagem para exibir