‘É o pior governo de toda a história do Brasil’, diz João Doria sobre Bolsonaro

Para o político, presidente “é de uma incompetência transformadora”; afirmação foi dada pelo governador em entrevista exclusiva ao Grupo Thathi, na manhã desta quarta

Tucano classificou governo como responsável pelos mais de 550 mil mortos que poderiam ser salvos pela vacina Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), classificou a gestão de Jair Bolsonaro como a pior de toda a história do Brasil. Para o político, o presidente “é de uma incompetência transformadora”, cujos efeitos alcançaram a saúde, a educação, o meio ambiente, as relações internacionais e o combate à corrupção. 

A afirmação foi dita por Doria em entrevista exclusiva ao programa Thathi Repórter,  na manhã desta quarta-feira (28), após ser questionado sobre ameaças ao presidente da Câmara Federal, sobre não haver eleições em 2022, caso não seja aprovado o voto impresso. 

“Uma tristeza, um governo ruim. Ruim em tudo. Ruim na saúde, ruim na educação, ruim no meio ambiente, ruim em todas as atividades. É o pior governo de toda a história do Brasil, lamentavelmente”, disse João Doria, “nós infelizmente escolhemos o remédio errado para combater a corrupção. Escolhemos Jair Bolsonaro, que é de uma incompetência transformadora”. 

Mortes evitáveis

O tucano afirmou ainda que a administração de Bolsonaro é a principal responsável pelos mais de 550 mil mortos pela Covid-19, devido à demora na aprovação de vacinas que já estavam disponíveis. “Nós já tínhamos aqui no Brasil e em São Paulo as vacinas do Butantan para iniciar a vacinação, o governo protelou, protelou, protelou e tivemos que entrar no Supremo Tribunal Federal e adotar medidas judiciais”, contou.

“Um governo muito nocivo e ruim, que levou à morte de muitos brasileiros que poderiam estar salvos se tivéssemos iniciado a vacinação em dezembro”, disse o governador de São Paulo, que ainda continuou, “muitos poderiam estar salvos e vivos, ao lado dos seus familiares, amigos e colegas de trabalho, se não fosse o negacionismo do governo Bolsonaro”. 

Dória diz que não apoiaria Lula e Bolsonaro em algum cenário das eleições de 2022 Foto: Divulgação

Nem Lula, nem Bolsonaro

Questionado sobre as eleições de 2022, em um cenário onde precisaria desistir de concorrer à presidência para apoiar outro candidato que poderia ser um terceiro concorrente contra o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula, João Doria disse que ainda é muito cedo para fazer previsões, pois precisa passar pela votação do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) para escolha do próximo representante, porém foi incisivo na resposta: nem Lula, nem Bolsonaro. 

“Tudo ao seu tempo, não é possível fazer uma previsão com tanta antecedência. No mundo da política, um dia é muito tempo, uma semana, um mês, é uma verdadeira eternidade. Agora, sobre Lula e Bolsonaro eu deixo clara a minha posição, nem Lula e nem Bolsonaro”, disse. 

De acordo com Doria, Lula não terá seu apoio, pois “seu passado de corrupção não foi esquecido”. O governador lembrou que o ex-presidente ainda responde a processos criminais na justiça e que foi autorizado apenas a disputar as eleições, mas não foi inocentado pelo Supremo Tribunal Federal. “Ele terá que cumprir ainda seu julgamento pelos atos de corrupção que infelizmente liderou ao longo do período de dois mandatos como presidente da República”, afirmou.

Quanto a Bolsonaro, o tucano disse que o presidente não responde a processos, mas que responderá. “O primeiro pelas vidas que se perderam, pela falta de vacinas, pela compra de cloroquina e, mais recentemente, pelas denúncias de propina para compra de vacinas. E também pelas rachadinhas, que é tão criminoso quanto qualquer outro ato de subversão e subtração de dinheiro público”, finalizou. 

Nenhuma postagem para exibir