CPI de Esportes realiza primeira oitiva com três funcionários da secretaria

A cessão de comissionados da pasta que ocupam cargos de chefia para outros setores, é um dos principais questionamentos da comissão

Foto: Thaisa Coroado

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Secretaria Municipal de Esportes, cujo objetivo é apurar eventuais irregularidades na gestão daquela autarquia, realizou através de videoconferência, na manhã desta segunda-feira, 27 de julho, a primeira oitiva quando foram ouvidos os funcionários comissionados Saint Clair de Souza, Chefe da Divisão do Conjunto Poliesportivo Elba de Pádua Lima, André Luis Américo da Cruz, coordenador de monitores das escolas de futebol, e o chefe da seção de gerenciamento de pessoal, Mauro Cesar Clemente.

Um dos principais questionamentos levantado pelos vereadores foi a respeito de funcionários lotados na Secretaria de Esportes, mas cedidos para outras secretarias, como é o caso do assistente do secretário, Jorge Alves de Oliveira Neto e da chefe do setor de sub-almoxarifado do esporte, Agda Camacho da Costa.

Os três depoentes afirmaram não ser da competência de suas funções o motivo da cessão destes servidores, e não o nome do responsável pelas cessões. Inclusive o chefe de gerenciamento do RH, que ocupa o cargo desde 2017, não soube explicar se estes funcionários haviam prestado serviço na secretaria em algum período. Também foi apontado o funcionário Francisco Ferreira da Silva Junior, que mesmo ocupando o cargo de chefe da Seção de Iniciativa esportiva, desenvolve funções em outras secretarias, neste ponto houve divergência entre os depoentes André Luis e Mauro Cesar, visto que o primeiro alegou que o funcionário não exerce suas funções na secretaria, e o segundo apontou que ele presta eventualmente.

Foi questionada a qualificação dos monitores o qual foi afirmado que são todos qualificados e com registro profissional no Conselho Regional de Educação Física (CREF).

O controle de ponto dos funcionários, tanto estatutários quanto comissionados, é feito através de livro pontos.

Publicações feitas pelos três depoentes em suas redes sociais, ofendendo parlamentares e denegrindo a imagem da CPI e consequentemente da Câmara Municipal, foi motivo de muitas retratações, e coincidentemente todos alegaram problemas emocionais à época das postagens, solicitando desculpas aos parlamentares ofendidos nas postagens, mas nenhum argumento usado nas redes sociais foi justificado perante a comissão.

A secretaria mantem hoje um quadro de 69 funcionários, sendo 35 comissionados.

O organograma fornecido pelo secretário de Esportes ao vereador Boni (Podemos), não coincidiu com as informações fornecidas pelos funcionários, da mesma forma, a informação constante no site que existe Sala de Musculação não foi confirmada pelo coordenador de monitores.

Também foi confirmado que a pista de atletismo está sendo reformada, e que com a chegada de verbas federais haverá reformas em outros setores.

Uma modificação que foi feita na gestão anterior para esta é que anteriormente era priorizado o futebol, havendo cerca de 30 campos de futebol, hoje com a diversificação de outros esportes, a secretaria mantem somente quatro destes campos.

A mudança de cargo e devida promoção, em plena pandemia, de André Luis, gerou estranheza aos membros da comissão, e desta forma será requerido a lista dos comissionados que foram promovidos recentemente.

Os vereadores deliberaram também que será solicitado relatório de afastamento e ausências de todos os servidores, períodos de afastamento do ex-secretário de Esportes, nome e cargos de quem assume a função de secretário em sua ausência, folha de pagamento discriminada e analítica referente ao ano de 2017 e organograma de cargos e competências e frequência.

A CPI tem como membros os vereadores Boni (Podemos), presidente, Lincoln Fernandes (PDT), relator e Paulo Modas (PSL). Participaram da oitiva os vereadores França (PSB), Renato Zucoloto (Progressista) e Orlando Pesoti (PDT).

Nenhuma postagem para exibir