Câmara investiga Duda Hidalgo por uso de carro oficial em viagens particulares

Vereadora do PT fez ao menos oito viagens em setembro sem autorização do Legislativo; denúncia foi feita por munícipe e afirma que ela foi a eventos do partido com o carro

Foto: Arquivo Pessoal / Redes Sociais

A Câmara de Ribeirão Preto abriu, nesta quinta-feira (19), um procedimento para investigar a denúncia, feita contra a vereadora Duda Hidalgo (PT), de uso irregular do veículo de seu gabinete para fins particulares. Entre as punições possíveis para o caso está a cassação do mandato da vereadora. Procurada, ela não comentou.

De acordo com a representação, feita por um cidadão, a parlamentar usou carro para deslocamentos particulares no mês de setembro, em especial nos quais foi participar de eventos políticos de seu partido. A denúncia pede ainda que a utilização do veículos em outros meses seja averiguada.

Segundo a representação, o uso do carro oficial “se restringe ao atendimento de demandas do gabinete do representante dentro da cidade de Ribeirão Preto, ou, quando se tratar de viagem de interesse público, tudo sempre documentado e previamente autorizado pela Mesa da Câmara”, o que não ocorreu no caso das viagens da parlamentar.

Documentos

A denúncia foi encaminhada ao Legislativo com uma série de documentos probatórios que confirmam a participação da vereadora em eventos políticos realizados pelo PT fora de Ribeirão Preto e também o uso do veículo oficial para o deslocamento entre diversas cidades.

O documento informa ainda que Duda Higaldo viajou, em setembro de 2021, oito vezes para fora de Ribeirão Preto com o carro oficial, sem explicações ou autorização da Mesa. As viagens tiveram destino de Cravinhos, Jundiaí, Sorocaba, São Paulo, São Bernardo do Campo, Diadema e Mauá, ocorrendo sequencialmente entre os dias 15 e 21 do mês.

O denunciante retirou, ainda, das redes sociais da própria parlamentar imagens e textos alusivos à participação dela em eventos partidários realizados em algumas das cidades para as quais as viagens foram realizadas.

Além de classificar a situação como improbidade administrativa, o cidadão afirma que Duda, que é estudante de direito na Universidade de São Paulo, sequer pode alegar desconhecimento da lei.

Mais casos

Não é a primeira vez que Duda é denunciada por suposto uso irregular da estrutura do mandato como vereadora em Ribeirão Preto. Ela chegou a ter um pedido de cassação do mandato protocolado no Legislativo por ter utilizado, em 13 de abril, um assessor, em horário de expediente, para afixar faixas nas quais fazia a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em viadutos da cidade. A representação foi arquivada.

O caso originou ainda uma ação popular, na qual o advogado Alexandre Sousa pediu que ela fosse impedida de utilizar a estrutura do gabinete para eventos particulares.

Outro lado

A reportagem tentou contato com Duda Hidalgo, mas não obteve resposta. Pelas redes sociais, entretanto, a parlamentar informou que considera o pedido político.

“As acusações que estão sendo feitas são completamente infundadas e, mais uma vez, se trata de um caso de perseguição política, carregado de violência política de gênero e que ataca diretamente o processo democrático e as mulheres que ocupam lugares de poder. Não serei intimidada por esses ataques”, disse Duda, em sua página no Facebook

Já o presidente da Câmara, Alessandro Maraca (MDB), informou, durante a sessão, que o caso será analisado pelos vereadores e que uma investigação para apurar o uso do veículo seria aberta.

Nenhuma postagem para exibir