Câmara de Pitangueiras recebe denúncia de nepotismo e favorecimento

A acusação protocolada por morador alega nepotismo e favorecimento; investigação tem prazo de 45 dias

Marcos Soriano, prefeito de Pitangueiras - Foto: Divulgação

Na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Pitangueiras desta terça-feira (4), a Casa acolheu denúncia que pede a cassação do prefeito municipal, Marcos Soriano.

A acusação protocolada por morador alega nepotismo e favorecimento. Ocorre que um funcionário, filho de servidor público lotado na administração direta, foi nomeado, em 2017, chefe de departamento, em Ibitiúva, o que lhe garantiu 50% de acréscimo ao salário. Com a desaprovação da população, a portaria foi revogada e o colaborador passou, aparentemente, a ser ‘compensado’ com o pagamento de horas extras, inclusive praticadas aos domingos, conforme o denunciante apurou junto ao Portal da Transparência.

A Câmara, por 8 votos a 4, acatou a denúncia. Uma comissão vai apurar os fatos, ouvir as partes, testemunhas e juntar provas. A investigação tem prazo de 45 dias, podendo ser prorrogada por igual período, e, ao final, um relatório será apresentado ao plenário, que decidirá pela cassação ou arquivamento do processo.

A reportagem não consegui localizar o prefeito para que ele comentasse a acusação.

Nenhuma postagem para exibir