Vítima de estupro terá gravidez interrompida nos próximos dias em Ribeirão Preto

Adolescente, 12, era violentada pelo próprio pai desde 2020 e passou por exames nesta quinta-feira (21); Polícia investiga o caso

Garota teria sido abusada por grupo de jovens depois de uma festa de halloween

Após passar por exames nesta quinta-feria (21), menina de 12 anos estuprada pelo próprio pai em Goiânia (GO), passará por aborto assistido para interromper a gestação de 19 semanas em Ribeirão Preto. A vítima está na casa da tia em São Carlos depois de ter sido resgatada por um parente.

O pai também está sendo investigado por maus tratos contra a menina e outros três filhos. Segundo apurado pela Delegacia de Defesa da Mulher de São Carlos, o homem teria matado, em 2014, a própria mulher a pauladas, na frente dos filhos, quando a família ainda morava na Bahia. Ele chegou a ser preso pelo crime, mas acabou solto e fugiu da cidade, mudando para Goiânia.

A princípio os quatro filhos do casal ficaram com parentes na Bahia, mas, ainda em 2014, acabaram sendo levados pelo pai para morar na capital goiana.

Resgate

Uma das tias, que mora em São Carlos, porém, ficou sabendo, neste ano, que os sobrinhos estariam sofrendo maus tratos e resolveu buscá-los na capital goiana. Ela trouxe os quatro – dois homens, de 18 e 21 anos, e outra adolescente, de 16 anos para São Carlos, além da menor de 12 anos, que está grávida de cinco meses.

Segundo a Polícia Civil de São Carlos, os estupros teriam se iniciado no fim do ano de 2020 e continuaram durante boa parte de 2021, culminando com a gravidez.

Procurado, o Conselho Tutelar de São Carlos informou que a família está sendo acompanhada pela instituição e que irá encaminhar as informações para a apuração do Ministério Público.

Estupro

O caso também foi registrado como estupro de vulnerável e maus tratos na polícia.

“Registramos um boletim de ocorrência de estupro de vulnerável e realizamos todas as oitivas. O próximo passo é encaminhar toda a documentação para a Polícia Civil de Goiânia”, afirmou a delegada Denise Gobbi Szakal, que responde pela DDM, em entrevista ao portal São Carlos Agora.

Nenhuma postagem para exibir